Vice de Romário vota em Bolsonaro Ele deveria votar em Alckmin, mas teve saída à direita

0

O candidato à vice-governador do Rio de Janeiro na chapa de Romário, deputado federal Marcelo Delaroli do PR, que deixou a chapa de Eduardo Paes para ser vice de Romário, vai votar em Jair Bolsonaro para presidente da República, contrariando a orientação de seu partido.

O Partido da República de Delaroli é um dos do chamado Centrão, que se coligaram ao candidato do PSDB Geraldo Alckmin. O vice de Romário não poupa elogios à Bolsonaro e defende sua posição com veemência. “Eu mostrei que minha linha, desde sempre, vinha nesse caminho de apoiar o candidato Jair Bolsonaro”, disse prometendo não mudar até o final.

O PR decidiu no último sábado (4), em convenção nacional, apoiar a candidatura de Alckmin por unanimidade da executiva nacional com 137 votos, mesmo dia em que o ex-governador de São Paulo teve a candidatura ao Planalto oficializada em convenção nacional do PSDB, também em Brasília.

Alckmin é investigado em inquérito do Ministério público Federal por improbidade administrativa,  por caixa 2, e formação de quadrilha com delatores da construtora  Norberto Odebrecht. Entre os envolvidos estão Adhemar César Ribeiro, cunhado de Alckmin, e Marcos Monteiro, que foi secretário de Planejamento na gestão do ex-governador e atualmente chefia a pasta do Desenvolvimento Econômico no governo de Márcio França.

 

O inquérito do MP também investiga se Alckmin deixou de declarar à Justiça Eleitoral R$ 2 milhões para a campanha de 2010 e R$ 8,3 milhões para a campanha de 2014. Os investigadores querem saber qual foi a finalidade do caixa 2 e por que o dinheiro não foi declarado à Justiça.

 

Comentários