TUCANOS DENUNCIADOS: ALCKIMIM, SERRA E KASSAB ROUBAVAM DOS TRANSPORTES A CCR, concessionária de serviços, deve assinar acordo com o Ministério Público ainda hoje

0

A mega concessionária do setor de transportes, CCR que atua em concessões de estradas, metrôs e aeroportos, e o Ministério Público Federal de São Paulo devem anunciar na tarde desta quinta-feira, 29, o fechamento de um acordo de leniência para evitar o fechamento da empresa que corrompeu políticos. Entre os que serão denunciados pela CCR estão Geraldo Alckmin, José Serra e Gilberto Kassab.

A empresa doou R$ 44 milhões para o caixa dois de políticos de São Paulo, em valores corrigidos. Segundo a CCR, Geraldo Alckmin levou R$ 5 milhões entregues ao cunhado do ex-governador, Adhemar Ribeiro, também citado pela Odebrecht como operador de recursos ilícitos para campanhas do tucano; José Serra recebeu valores intermediados pelo empresário Marcio Fortes, também citado pela Odebrecht como operador do atual senador e Gilberto Kassab, que seria o futuro chefe da Casa Civil do governador João Doria também participou da partilha da quadrilha.

As doações teriam sido feitas por caixa dois, já que a CCR não pode fazer doações para campanhas eleitorais por ser concessionária de serviços públicos. A empresa pagará uma multa de R$ 81,5 milhões para o governo paulista e mais R$ 17 milhões para a construir a biblioteca da Faculdade de Direito da USP.

A CCR atua criminosamente desde 1999 explorando pedágios em concessões de rodovias, faturando com mobilidade urbana, aeroportos e serviços para governos.

A companhia corrupta explora, por exemplo, 3.265 quilômetros de rodovias nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Mato Grosso do Sul. É dona das concessionárias de metrô de São Paulo, ViaQuatro, ViaMobilidade, CCR Barcas e CCR Metrô Bahia, responsáveis, respectivamente, pela operação da Linha 4-Amarela de metrô de São Paulo, Linha 5 – Lilás de metrô e Linha 17 – Ouro de monotrilho de São Paulo, pelo transporte aquaviário de passageiros no Rio de Janeiro e pelo sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, além de ter participação na concessão do VLT Carioca (Veículo Leve sobre Trilhos), que interligará a região portuária e o centro do Rio de Janeiro.

E explora também aeroportos internacionais de Quito (Equador), San José (Costa Rica) e Curaçao. No Brasil, possui a concessionária BH Airport, responsável pela gestão do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Em 2015, adquiriu a TAS (Total Airport Services), empresa norte-americana prestadora de serviços aeroportuários.

Comentários