TSE NEGA LIMINAR CONTRA CAMPANHA DE BOLSONARO, MAS DÁ PROSSEGUIMENTO AO PROCESSO SOBRE WHATSAPP PDT pediu anulação do primeiro turno das eleições e que Bolsonaro fora do segundo

0

O corregedor do TSE, ministro Jorge  Mussi, negou pedidos de liminar feitos pelo PDT e pela Coligação Brasil Soberano-PDT/Avante para suspender Jair Bolsonaro de participar do segundo turno da campanha eleitoral para presidência da República.

O ministro deu  prazo de cinco dias para a defesa do candidato se manifestar sobre a acusação de uso de caixa 2 por empresas em disparo de mensagens via WhatsApp contra a campanha de Fernando Haddad.

O minstro  negou todos os pedidos de liminar das duas ações. O TSE também negou o pedido para impedir Bolsonaro e seu vice, General Hamilton Mourão, de veicularem qualquer notícia por meio de redes sociais, principalmente pelo WhatsApp, o que seria uma censura ao aplicativo.

Os pedidos foram  baseados em uma reportagem  do jornal  Folha de São Paulo, que não apresentou indícios nem provas da denúncia da existência de contratatos de serviços para envio em massa de mensagens contra o PT.

Comentários