Toffoli proíbe Moro de colocar tornozeleira eletrônica em seu ex-chefe condenado José Dirceu Ministro diz que o juiz 'afrontou' a decisão do STF, que na semana passada soltou o criminoso

0

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), proibiu nesta segunda-feira, (2), medidas cautelares alternativas à prisão ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT), impostas pelo juiz Sérgio Moro, depois que o condenado foi solto pela Segunda Turma do STFna semana passada.

Na última sexta-feira (29), Moro determinou que Dirceu, que saiu do presídio da Papuda, em Brasília, fosse monitorado por tornozeleira eletrônica e o impediu de deixar o país. Na decisão desta segunda-feira, Toffoli disse que o Moro “afrontou” o Supremo.
“Com efeito, o Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR, em decisão com extravasamento de suas competências, restabeleceu medidas cautelares diversas da prisão, outrora determinadas em desfavor do paciente, à míngua de qualquer autorização deste Supremo Tribunal Federal, que, em decisão colegiada da Segunda Turma, deferiu medida cautelar em habeas corpus de ofício, para assegurar a liberdade plena ao ora reclamante até a conclusão de julgamento da ação”, escreveu o ministro.
Moro definiu que José Dirceu deveria ir até Curitiba para colocar a tornozeleira eletrônica até esta terça-feira (3).
Toffoli concedeu liberdade plena a seu ex-chefe, José Dirceu, atacou a Lava Jato e desautoriza o juiz.

Comentários