Temer, o preço alto da energia que você paga e a mala de dinheiro A relação entre a mala de dinheiro recebido para o presidente e os aumentos extorsivos

Aumentos de tarifas causados diretamente pela corrupção

0
Temer rouba energia
Temer rouba até sua luz

Um presidente da República pode salvar ou afundar o país. No caso de Temer, escolheu afundar um pouco mais o que encontrou à deriva. A mala de dinheiro devolvida por seu assessor especial, preso pela polícia federal depois que recebeu os R$500.000,00, tudo devidamente filmado pela investigação policial e considerado ter sido a mando do presidente da república, (inacreditável), era também para aumentar o preço da energia elétrica.  O crime tem muito mais a ver com o seu bolso, do que você imagina.

As contas de luz ficam caras de uma hora para outra e você já não sabe o que fazer para diminuir os gastos. Passa a noite toda atrás das crianças desligando interruptores, televisões e batendo na porta do banheiro: “Sai do Banho”, gritam muitos país de família desesperados com a alta tarifa. Pois bem, a mala de dinheiro destinada ao corrupto presidente da república, como afirma a investigação policial, seria repetida por mais vinte (20) anos, toda semana e poderia chegar até a um milhão de reais por semana, caso o preço da sua conta de energia subisse mais. Isto mesmo, a propina serviu para Temer aumentar sua conta de luz!

O deputado federal Rodrigo Rocha Loures do PMDB, assessor preso de Temer, foi filmado recebendo a mala de dinheiro e é apontado como intermediário do presidente Michel Temer para assuntos do grupo J&F com o governo. Além de uma disputa sobre o preço do gás fornecido pela Petrobras à termelétrica do grupo JBS, a Empresa Produtora de Energia (EPE), Joesley Batista, disse que era suborno para comprar o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

O valor da propina que JBS estava pagando para Temer e era semanal, poderia chegar a R$ 1 milhão caso o governo aumentasse o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que é um valor fixado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em R$/MWh.

Para chegar ao “bônus” corrupção de Um Milhão de Reais por semana, Temer iria aumentar o valor da comercialização da energia, para acima de R$ 400,00 MWh. Hoje este preço médio está estimado em R$343,10 por megawatt-hora.

Comentários