Tacla Duran tinha esquema de lavagem de dinheiro Manuscritos foram apreendidos pela Lava Jato

0

A Polícia Federal apreendeu na casa de Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto alguns manuscritos com um organograma do esquema de lavagem de dinheiro investigado pela força-tarefa, na Ad Infinitum,  60° da Lava Jato que incriminam Tacla Duran.

Nos desenhos, aparecem diversas vezes a sigla RTD, que, segundo o MPF, é uma referência ao doleiro Rodrigo Tacla Durán.

Duran está foragido e faz acusações contra procuradores e o ministro da Justiça Sérgio Moro. Escondido na Espanha, o criminoso é frequentemente citado pela defesa do ex-presidente Lula e deputados do PT que questionam a Lava Jato.

Agora, Duran entra de vez no olho do furacão como integrante de esquemas de lavagem de dinheiro da Odebrecht, ao lado de Paulo Preto.

Paulo Preto e Tacla Durán possuem o mesmo agente financeiro no exterior e  o mesmo advogado.

Tacla Duran é apontado por delatores da Odebrecht como operador da empreiteira.

Ele acusa o advogado Carlos Zucolotto Jr de oferecer facilidades em um eventual acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato, em troca de ‘pagamentos por fora’.

Apontado pela força-tarefa da Lava Jato como “um grande operador” do esquema de corrupção, o ex-advogado da Odebrecht, Rodrigo Tacla Duran” teve pedido de prisões retado em 2016, pelo então juiz Sérgio Moro. Chegou a ser preso na Espanha, mas solto por falta de acordo de extradição.

Comentários