STF, Michel Temer e o indulto que continua soltando bandidos bilionários O Brasil precisa rever urgentemente o sistema político

0

Parece brincadeira, mas é real. O ex-presidente da República, Michel Temer ao conceder um indulto de Natal beneficiou criminosos de toda espécie, mas principalmente os mais danosos para a sociedade brasileira.

Na época do decreto, a PGR contestou as regras, generosas com condenados por corrupção e crimes de colarinho branco, mas neste ano, por maioria, elas foram validadas pelo STF.

Ontem, a Procuradoria Geral da República enviou ao Supremo, um parecer pela concessão de indulto a Kátia Rabello e José Roberto Salgado, ex-dirigentes do Banco Rural, condenados no mensalão. Os porcos diretores da instituição financeira que se assemelha a uma verdadeira pocilga a serviço do crime, estarão perdoados.

Segundo Raquel Dodge, ambos já preenchiam, em 2017, as condições estabelecidas pelo decreto de Michel Temer para terem a punibilidade extinta, ao cumprirem um quinto da pena.

O banco criminiso repassou R$ 29 milhões às empresas de Marcos Valério, operador do mensalão, e R$ 3 milhões ao PT por meio de empréstimos fictícios.

O objetivo do grupo era financiar o suposto esquema de pagamento a parlamentares da base aliada em troca de apoio na aprovação de projetos de interesse do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva preso por ocultação de bens roubados do povo brasileiro.

 

 

Comentários