STF libera falsificador, condenado e preso para trabalhar como senador do Brasil Senador foi condenado a 4 anos e seis meses de prisão

0

O Supremo Tribunal Federal-STF, em decisão do  ministro Alexandre de Moraes, autorizou nesta quarta-feira 24, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) a voltar a trabalhar no Senado Federal do Brasil.

O senador está recolhido ao sistema penitenciário da Papuda, em Brasília, desde a semana passada, depois de protelar sua prisão, permanecendo dentro de um hospital de propriedade de sua família.

Acir foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão por crimes contra o sistema financeiro e cumpre a pena em regime semiaberto que permite ao sentenciado trabalhar durante o dia e retornar para o presídio para dormir.

Moraes foi legalista. Cumpriu o que a lei permite: deixar um criminoso, condenado e preso por falsificaçao e desvio de dinheiro do povo, legislar e decidir sobre o futuro de todos nós brasileiros. Ou as leis precisam mudar ou o STF tem de analisar a relevância dos cargos ocupados por criminosos que assolam os cofres públicos, espalhando o caos e a miséria.

Em 2002, quando era diretor de uma empresa de ônibus de sua família, e que atuava nos estados do  Amazonas e Rondônia, Gurgacz pegou R$ 1,5 milhão emprestados no Banco da Amazônia-Basa  e apresentou documentos falsos para conseguir o emprestimo e novamente para justificar a compra fraudulenta de ônibus velhos como se novos fossem.

Este tipo de indivíduo, segundo as leis e a Suprema Corte do pais, estão  aptos para legislar.

Comentários