Sírio Libanês pesquisa corticoide contra novo coronavirus

0

O Hospital Sírio-Libanês vai avaliar o impacto do medicamento corticoide dexametasona em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo por COVID-19 comparado a tratamento padrão.

Nesta pesquisa serão incluídos 284 pacientes que necessitam de suporte de aparelhos (ventilador mecânico) para respirar.

“A avaliação agora é entender como esse medicamento pode ajudar pacientes com essa síndrome provocada pela COVID-19” explicou Luciano Cesar Azevedo, superintendente de Ensino do Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa.

Este é o terceiro estudo, Coalizão III, e será conduzido pelo Sírio-Libanês, membro da Coalizão Covid Brasil, com apoio do Laboratório Aché que vai realizar a operação logística de entrega dos medicamentos aos centros de pesquisa e também vai custear seguro para os participantes do estudo.

A dexametasona é um medicamento pertencente à classe dos corticosteroides, atuando no controle da velocidade de síntese de proteínas.

O efeito principal deste medicamento é a profunda alteração promovida na resposta imunolinfocitária, devido à ação anti-inflamatória e imunossupressora, podendo prevenir ou suprimir processos inflamatórios de várias naturezas, ou seja, é considerado também um medicamento de ação anti-inflamatória.

Contraindicações e cuidados no uso da Dexametasona

Por ser um medicamento que possui efeitos anti-inflamatórios e imunossupressores, pertecente a classe dos corticosteroides, a dexametasona possui inúmeras contraindicações bem como precaucações de uso.

A dexametasona não deve ser tomada por conta própria em hipósete nenhuma, seu uso está associado a diversos riscos à saúde. Este medicamento somente pode ser usado com prescrição e acompanhamento médito.

Neste estudo a dexametasona será experimentada em condição específica de um sintoma causado pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 para avaliar sua eficácia

Comentários