Senador ladrão não foi preso porque tem Foro Privilegiado Mulher do assaltante aos cofres públicos e três irmãos dele foram em cana

0

A praga que deve ser combatida nas ruas, pelo povo, é o privilégio concedido aos corruptos no Brasil. Hoje, o Foro privilegiado livrou de ser preso o senador criminoso, Omar Aziiz.

A Polícia Federal só conseguiu prender a mulher e três irmãos dele, considerados comparsas do político no crime de assalto ao dinheiro do povo.

Nejmi Aziz, esposa do senador e ex-governador do Amazonas e os irmãos dele, Murad, Amim e Mansour Aziz foram presos sexta-feira (19)  pela Polícia Federal no âmbito da Operação Vertex.

A operação  investigação apontou a prática dos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Outro privilégio criado pelos corruptos para proteger a eles mesmos é a decisão equivocada de proibir a utilização dos dados do Coaf, nos processos, um crime cometido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

O povo precisa voltar para às ruas. O foro privilegiado é um mecanismo pelo qual se altera a competência penal sobre ações contra certas autoridades públicas.

Tecnicamente, o nome correto é foro especial por prerrogativa de função. Na prática, uma ação penal contra uma autoridade pública – como os parlamentares – é julgada apenas por tribunais superiores, diferentemente de um cidadão comum, julgado pela justiça comum. O Foro é inconstitucional e vai contra o princípio de direitos iguais preconizado na Carta Magna do país.

Comentários