Sem vacina, DF suspende campanha contra covid-19

0

Por falta de imunizantes, a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 em idosos foi interrompida no Distrito Federal, . A Secretaria de Saúde (SES-DF) já havia suspendido a vacinação para pessoas de 66 anos, porém, na prática, não há vacinas para imunizar mais ninguém.

Apenas quem já tomou a primeira dose, na campanha que começou em 19 de janeiro, tem a aplicação da segunda garantida. As doses remanescentes fazem parte do estoque exclusivo para garantir a segunda dose de quem tornou a primeira.

Apenas 87.214 pessoas foram vacinadas com as duas doses no DF. O total de pessoas que receberam a primeira dose na capital do país é de 313.763 pessoas.

A previsão é de chegada de mais 10 mil vacinas, enviadas pelo Ministério da Saúde, ainda nesta semana, mas o governo federal já alterou anteriormente seus prazos e quantidades de vacinas entregues.

O quadro gera preocupação porque segundo a SES-DF, o governo federal não informou para qual público o material deve ser destinado causando incertezas sobre a possibilidade de ampliação da campanha, que só poderá ser analisada após a chegada do novo lote.

De acordo com a Secretaria de Saúde, das 564.410 doses recebidas do Ministério da Saúde, 463.730 tinham sido distribuídas até terça. Ao todo, a capital recebeu:

474.160 doses da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com farmacêutica chinesa Sinovac.
90.250 doses da vacina Covishield, produzida pela universidade inglesa de Oxford, com a farmacêutica sueco-britânica AstraZeneca
Ambas as vacinas são aplicadas em duas doses. No caso da CoronaVac, o prazo entre uma dose e outra varia de 14 a 28 dias. Já para a vacina AstraZeneca/Oxford, o intervalo é de até 90 dias.

Balanço da 1ª dose
Região de Saúde Central: Asas Sul e Norte, lagos Sul e Norte, vilas Planalto e Telebrasília, Sudoeste/Octogonal, Cruzeiro e Noroeste – 87.820 pessoas vacinadas
Região de Saúde Sudoeste: Taguatinga, Samambaia, Recanto das Emas, Águas Claras, Arniqueira e Vicente Pires –55.616 pessoas vacinadas
Região de Saúde Oeste: Ceilândia, Brazlândia e Sol Nascente/Pôr do Sol – 43.658 pessoas vacinadas
Região de Saúde Centro-Sul: Guará, Cidade Estrutural, SIA, SCIA, Candangolândia, Park Way, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I e Riacho Fundo II – 40.894 pessoas vacinadas
Região de Saúde Sul: Gama e Santa Maria – 32.670 pessoas vacinadas
Região de Saúde Norte: Sobradinho, Sobradinho II, Planaltina e Fercal – 29.951 pessoas vacinadas
Região de Saúde Leste: Paranoá, Itapoã, Jardim Botânico e São Sebastião – 23.154 pessoas vacinadas
Total de doses aplicadas: 313.763

Doses distribuídas: 338.120

Balanço da 2ª dose
Região de Saúde Central: 24.506 pessoas vacinadas
Região de Saúde Sudoeste: 18.624 pessoas vacinadas
Região de Saúde Oeste: 11.650 pessoas vacinadas
Região Centro-Sul: 9.088 pessoas vacinadas
Região Norte: 9.218 pessoas vacinadas
Região Sul: 9.276 pessoas vacinadas
Região de Saúde Leste: 4.852 pessoas vacinadas
Total de doses aplicadas: 87.214

Doses distribuídas: 125.610

A falta de vacina está ocorrendo em diversos municípios brasileiros. No ano passado o governo federal se meteu em confusões e agressões aos principais países produtores da vacina. Bolsonaro, o presidente do Brasil, axincalhou a China e a Índia. Segundo. O presidente proibiu a compra de imunizantes que chamou de “vachina”.

A AstraZeneca outro fabricante, do Reino Unido, também informou que o governo brasileiro recusou em setembro de o ano passado, oferta de 100 milhões de doses que deveriam ter sido entregues em dezembro de 2020.

Comentários