Rolemberg e Bruna Pinheiro, seguem demolindo a vida e sonho dos Brasilienses

0

Hoje, acordamos em Brasília com a entrevista da Bruna Pinheiro, Diretora da Agefis, na TV Globo. Com ar de satisfação, a mesma se gaba por ter demolido 128 casas em 2015 e mais 176 casas em 2016. Como se retirar a casa das pessoas fosse algo de grande relevância social. Com o objetivo de resgatar terras públicas, mas não foi esse o compromisso do Governador em sua campanha. O Rodrigo Rolemberg foi eleito prometendo que iria regularizar os condomínios, disse que não haveria derrubadas, na contra-mão do que disse segue demolindo o sonho de quem votou nele, de quem acreditou em suas palavras na campanha eleitoral.

Na beira do Lago Sul, demoliu grades e canil, algo para justificar a destruição de casas no Sol Nascente. Como quer parecer que está destruindo casas de ricos e pobres. Uma demagogia torpe e bestial. Tudo devidamente sem estudo de impacto ambiental, pois quem destrói as margens de um Lago ou rio acaba por matar toda diversidade da flora e fauna que ali existe.

Segue demolindo casas nos condomínios que pagam IPTU, Iluminação pública (Luz) e telefone e outras arrecadações do Estado. Ora, Governador, não seria melhor cobrar novamente de quem comprou de forma errada e por isso pagaria duas vezes? Regularizar com financiamento seria menos traumático e mais justo com quem lhe confiou o voto, com quem acreditou em suas palavras.

A Diretora da Agefis, Bruna Pinheiro, parece não saber do que fala, quando diz que vai retirar os índios da região do Noroeste, pois isso é vedado a União. Seria conveniente ler o artigo 231 da Constituição de 1988, antes de proferir asneiras. Quanto as carroceiros que ali estão ocupando e formando uma favela, isso sim pode ser possível, mas que sejam removidos sem truculência e com dignidade para uma área específica e definitiva.

Cond lago sulPesos e medidas diferentes são as ações nos condomínios do lago. Todos são irregulares, mas querem que ao invés de construir um casa de R$ 500 mil reais, no Altiplano Leste, que as pessoas comprem apartamentos no Guará e Águas Claras como disse, Bruna Pinheiro, fomentando o ramo imobiliário. O Condomínio Lago Sul é intocável? Lá existem casas de 2 milhões e poderia fomentar muito mais o setor imobiliário. A distancia é de 500 metros, um do outro, mas em uns moram Juízes, desembargadores e talvez, nesse caso, ficaria mais complicado derrubar alguma casa. Conseguimos entender a lógica, como também o medo, isso justifica a covardia de destruir a casa de pessoas comuns, de classe média, que não fazem parte da aristocracia Brasiliense.

O foco agora será o Lago Norte, querem seguir destruindo a orla do lago, assoreando as margens e sem um plano concreto. Discutir com a sociedade nem pensar, cumprir suas promessas de campanha muito menos, pois isso é coisa de democrata, para Governador Rodrigo Rolemberg, do Partido Socialista Brasileiro, a ordem é imperar.

Já está mais do que na hora da sociedade se mobilizar e acabar com esse circo. Esse entra e sai governo que não resolve nada. Estamos com dois anos nesse governo atual e o que foi feito? Nada! Fazem benesses para seus currais eleitorais e só. Fraudes na saúde pública, fraudes na educação, problemas no transporte. Sempre mais do mesmo. Até quando vamos permitir essa situação? Essa é a questão.

Comentários