Qual o creme dental ideal para seu filho, com ou sem flúor?

0
947

Bom dia, caros amigos da BSB Magazine. Durante três semanas, conversamos sobre os hábitos de chupeta e de uso da mamadeira. Espero que tenham gostado! Atendendo a pedidos, vou falar um pouco hoje, sobre o uso do creme dental para bebês. Não é raro, eu atender bebês e crianças, cujos pais têm muitas dúvidas a respeito de qual creme dental devem utilizar, com ou sem flúor. Então, vamos aos esclarecimentos.

Existe na Internet, uma panaceia de informações desencontradas e contraditórias. Mas, sem dúvida alguma, fazer pesquisas a respeito de algum assunto sobre o qual temos dúvidas, tornou-se corriqueiro no mundo atual. Entretanto, é preciso ter muito cuidado e buscar informações com referências sólidas. Ou, o que é mais indicado, procurar um profissional qualificado para oferecer as informações corretas.

O uso do flúor nos cremes dentais fez uma diferença significativa para a prevenção da doença cárie, na população mundial. Porém, passadas algumas décadas, o surgimento da fluorose pareceu estar relacionado à ingestão de flúor por crianças em fase de calcificação dentária.

A fluorose é uma intoxicação crônica causada pelo flúor em excesso, que entra na formação do esmalte do dente e pode causar manchas, de brancas a marrons, dependendo da quantidade ingerida, do peso da criança e do tempo durante o qual ocorreu essa ingestão.

O que se define, atualmente, como seguro para prevenir a cárie e não causar fluorose nos dentes permanentes, que estão se formando quando começam a irromper os dentes de leite do bebê, é a quantidade equivalente a meio grão de arroz cru para bebês de zero a três anos, um grão de arroz cru de três a seis anos e um grão de ervilha, a partir dos seis anos, duas vezes por dia, de manhã e à noite.

Essas quantidades são seguras, mas devem ser acompanhadas sempre pelos responsáveis pela criança. Não aconselho delegar essa responsabilidade para terceiros, visto que o flúor é um medicamento, que deve ser usado sob controle rigoroso, não devendo também ficar ao alcance da criança. Qualquer alteração na posologia indicada, só deve ser prescrita por um odontopediatra, que é o profissional qualificado para definir o risco maior ou menor da criança em desenvolver a cárie. Qualquer dúvida, estou à disposição pelo e-mail:

drapatricia@bsbmagazine.com.br. Um abraço, até nosso próximo post.

Comentários