PGR fecha delação do “homem da mala” de Renan Calheiros

0

A Procuradoria-Geral da República fechou um acordo com o ‘homem da mala’ do senador Renan Calheiros. O acordo é de não persecução penal com Durval Rodrigues da Costa, operador que relatou ter entregado, em 2014, malas com R$ 3,8 milhões em dinheiro vivo, destinados a Renan Calheiros.

O acordo envolve o inquérito contra Renan Calheiros que tramita no STF, por um desdobramento da delação dos executivos da J&F, e resultou na Operação Alaska, deflagrada pela PF.

Pelo acordo, enviado para a homologação do relator do caso no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, Durval confessa ter cometido o crime de corrupção ativa e se compromete a prestar serviços à comunidade por um ano, um mês e dez dias, além de pagar prestação pecuniária no valor de R$ 40 mil.

Investigado no inquérito do STF sobre compra do apoio do MDB à reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2014, Durval revelou em detalhes como teria participado das entregas de R$ 3,8 milhões em dinheiro vivo da J&F/JBS para o ex-presidente do Senado. As informações foram obtidas pela Polícia Federal em depoimento de Durval Rodrigues da Costa, tomado em Brasília (DF), em 21 de maio de 2019.

O depoente que foi assessor do governo de Minas e do ex-deputado federal Aracely de Paula (PR-MG) afirma ser amigo, há duas décadas, do delator Ricardo Saud, executivo do grupo J&F. E narrou que estaria prestando um “favor” ao amigo, quando foi apresentado a Renan ,em 2014, como sendo pessoa de confiança de Saud, após ter sido levado pelo executivo do Aeroporto de Brasília até a residência oficial do então presidente do Senado. No local, diz ter havido uma reunião reservada entre Renan e o empresário. E o senador teria ‘acatado a indicação’.

No depoimento, Costa narrou um encontro em Recife (PE), sob orientação de Saud, com o publicitário condenado pela Lava Jato André Gustavo Vieira – que admitiu ter operado propinas para o ex-presidente da Petrobrás, Aldemir Bendine. E afirma que o publicitário ‘revelou que seria necessária a realização de várias viagens para entrega de valor em torno de R$ 4 milhões na cidade de Maceió ao Senador Renan Calheiros’. Tendo sido combinado que uma mala com R$ 600 mil seria sua primeira entrega na capital de Alagoas, antes de outras operações de repasses.

Comentários