PF na casa de dono da Havan, de deputado Bolsonarista, blogueiro e outros apoiadores de Bolsonaro Ação investiga ameaças ao Supremo e notícias falsas

0

A Polícia Federal (PF) cumpre, na manhã desta quarta-feira (27), mandados de busca e apreensão no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura ameaças e ofensas à Corte. O empresário Luciano Hang, dono da Havan, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-RJ) e o blogueiro Allan dos Santos, aliados do presidente Jair Bolsonaro, são alvos.

A PF está na casa do empresário em Curitiba e em seu escritório.

Buscas foram realizadas no gabinete do deputado, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, onde computadores foram apreendidos.

As buscas e apreensões contra o blogueiro Allan dos Santos ocorreram na casa dele, em uma área nobre de Brasília.

Ao todo, a operação tem 29 mandados de busca e apreensão. As ordens foram expedidas pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do inquérito.

A PF também faz buscas e apreensões nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.

As investigações tramitam em sigilo e apuram informações levantadas pela equipe designada pelo relator do caso no STF, ministro Alexandre de Moraes, sobre suspeitos de terem atacado a honra ou tentado ameaçar ministros.

O inquérito criminal para apurar “notícias fraudulentas”, ofensas e ameaças que “atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares” foi aberto em março pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, sem nenhum pedido de autoridades policiais ou procuradores e sem a participação do Ministério Público.

Na abertura do inquérito, o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli designou Moraes como relator do caso. Não houve sorteio entre os ministros do Tribunal, como é norma regimental no caso dos inquéritos comuns.

Comentários