PF FAZ BUSCAS SOBRE NAVIO GREGO, SUSPEITO POR ÓLEO NAS PRAIAS

0

A Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro em endereços  ligados a uma embarcação grega suspeita de ser a responsável pelo vazamento do óleo que atinge praias do Nordeste e segue para o Sul do Brasil.

A suspeita é de que o derramamento ocorreu nos dias 28 ou 29 de julho, a quase 700 km da costa brasileira. O único navio petroleiro que passou pela região neste  período, foi o Grego.

Óleo chega a regiões paradisíacas e segue em direção ao sul do país.

Segundo a investigação, a embarcação atracou na Venezuela em 15 de julho e o derramamento teria ocorrido a 700 quilômetros da costa brasileira entre os dias 28 e 29 de julho. Uma operação foi deflagrada nesta sexta-feira pela PF em conjunto com a Interpol.

Estão sendo cumpridos dois mandados de busca nesta sexta-feira (01) no Rio em sedes de representantes e contatos da empresa grega responsável pelo navio. Os mandados foram expedidos pela 14ª Vara Federal Criminal de Natal/RN, em sedes de representantes e contatos da empresa grega no Brasil.

As investigações foram realizadas de forma integrada com Marinha, Ministério Público Federal, Ibama e as universidades Federal da Bahia (UFBA), de Brasília (UnB) e Universidade Estadual do Ceará (Uece). Também houve apoio de uma empresa privada do ramo de geointeligência.

De acordo com as investigações, após atracar na Venezuela, onde ficou por três dias, o navio seguiu para Singapura, tendo aportado apenas na África do Sul. O derramamento teria acontecido durante esse translado.

Não há ainda informações sobre quem seria o responsável pelo petróleo abastecido na Venezuela. Foram solicitadas diligências adicionais à Interpol para buscar dados adicionais sobre a embarcação, tripulação e empresa responsável.

A investigação é pelo crime de poluição e por um artigo da legislação brasileira que pune o fato de não ter havido comunicações às autoridades sobre o incidente ocorrido em alto mar. O óleo que contamina as praias nordestinas desde 30 de outubro deste ano já atingiu 286 localidades em 98 municípios nos nove estados do Nordeste.

Comentários