Petrobrás e Odebrecht em Deja Vu da Polícia Federal Operação volta a prender funcionários e operadores de propina

0

A operação “Deja vu” da Lava Jato, deflagrada na manhã desta terça-feira (8), investiga propina de mais de R$ 200 milhões para o MDB.

A Polícia Federal  cumpre 23 mandados, sendo  quatro de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 17 de busca e apreensão.

Três ex-funcionários da Petrobras e três operadores financeiros devem ser presos um agente finaceiro seria o responsável pela entrega do dinheiro roubado ao então  PMDB, atual MDB.

As vantagens indevidas estão relacionadas a um contrato fraudulento de mais de US$ 825 milhões, firmado em 2010 pela Petrobras com a construtora Norberto Odebrecht, segundo o MPF

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a propina de U$ 56,5 milhoes foi distribuída para os emedebistas  entre 2010 e 2012.

O MPF tem provas de repasses de US$ 25 milhões a ex-funcionários da Petrobras e investiga  se US$ 31 milhões chegaram ao MDB.

O roubo teria acontecido em um contrato de mais de US$ 825 milhões, firmado em 2010 entre a Petrobras e a construtora Odebrecht.

Para esconder o dinheiro roubado,  foram utilizados no crime,  offshores, operadores financeiros e doleiros.

Comentários