Pensando em férias num sultanato? Que tal Omã? A EMBAIXADA EM BRASÍLIA FESTEJOU A DATA NACIONAL COMO DE COSTUME. MAS O QUE ESTE PAÍS AINDA POUCO CONHECIDO ESCONDE DE TÃO SURPREENDENTE?

0
A Grande Mesquita de Muscat é um dos principais atrativos: foi encomendado pelo sultão Qaboos, em 1992. Inaugurada em 2001, pode acomodar até 20 mil adoradores.
Imagens da Data Nacional gentilmente cedidas pela Embaixada do Sultanato de Omã

Attribution-ShareAlike 2.0 Generic (CC BY-SA 2.0)

 

O Embaixador do Sultanato de Omã, SE o Sr. Amad Hamood Salim Al Abri (C), cumprimenta os embaixadores da Argélia (E) e da Jordânia (D), num momento de descontração

A DATA NACIONAL

Como faz tradicionalmente todos os anos, a Embaixada do Sultanato de Omã em Brasília realizou um grande evento para festejar sua Data Nacional, comemorada oficialmente no dia 18 de novembro. Este ano, a 48º Dia da Pátria (como também é chamada a data) aconteceu na segunda-feira, 19 de novembro, no Dúnia City Hall, Lago Sul.

O sorriso do Segundo Secretário da Embaixada de Omã, o Sr. Juland Al Julandani, em companhia do Sr. Ibrahim Al Ahmed, diplomata da Embaixada do Kuwait

Luxo, bom gosto e gente bonita, como sempre, desfilaram pelo salão. Afinal, um sultanato é um sultanato. Mas o que significa o título que soa tão nobre aos ouvidos? Bem, colocado de maneira simples, um sultanato nada mais é que região ou país governado por um sultão. Literalmente significa “aquele que detém o poder”, e foi originalmente uma forma de se referir a chefes militares, geralmente turcos, que exerceram o poder de facto em territórios nominalmente governados pelo califa. Mais tarde, tornou-se um título real (o soberano).

 

Convidados da Data Nacional são recebidos com carinho pela Embaixada do Sultanato de Omã.

 

Todos os anos, entretanto, a Data Nacional de Omã é celebrada em Brasília com a presença de chefes de missão e pessoas importantes da sociedade brasiliense, mas depois pouco se ouve falar no país estrategicamente posicionado na Península Arábica. Omã, que faz fronteira com os Emirados Árabes Unidos a noroeste, a Arábia Saudita a oeste, e o Iêmen ao sul e sudoeste, encontra o Mar da Arábia no sudeste e o Golfo de Omã no nordeste.

O PAÍS DE SURPRESAS

O que pouca gente sabe é que Omã, cuja capital é Muscat, é um verdadeiro paraíso turístico. O país tem praias, montanhas, e sua paisagem contrasta fortemente com os desérticos países vizinhos. Somente há 20 anos Omã se abriu ao turismo, o que torna a experiência turística ainda mais fascinante, já que as antigas tradições ainda mantêm-se tão vivas.

 

Crianças esperam a hora do lanche na sombra da escola. O clima é relativamente quente em Omã.
A paisagem que mostra os topos das casas é muito comum.

As palmeiras, tamareiras, areia, camelos, arbustos e algumas lebres e felinos são próprios da região. Mas Omã tem um diferencial dos países vizinhos pelo qual é conhecido: chamam o país de o “reino do arbusto do incenso”, porque tem uma resina vegetal que desprende um agradável odor.

O clima varia dependendo da proximidade ao mar e da altitude. Na costa, as temperaturas e a umidade são altas; nas montanhas as temperaturas se suavizam e de dezembro a março as tempestades são frequentes. Tem até neve!

O idioma oficial é o árabe, mas também se fala o inglês. A grande maioria da população é muçulmana e há regras que devem ser rigorosamente obedecidas: armas e pornografia, nem pensar!

As cidades de Omã são vivas e cheias de atividade. O povo é muito receptivo e alegre, e adora receber visitantes.

TURISMO EM OMÃ, QUE TAL?

Muscat, a capital, é um lugar que encanta ao visitante. A cidade florescia nos tempos medievais e os portugueses utilizaram seu porto para o comércio no Golfo. A cidade tem alguns interessantes museus para visitar, entre eles o Museu de Omã, que conta ao visitante tudo sobre a cidade; o Museu das Crianças, um divertido e interessante museu; o Museu de História Natural e o Museu das Forças Armadas do Sultão.

Compras? Sim! Há dois lugares onde o viajante poderá fazer compras: os mercados de Mutrah e Ruwi. A Torre do Relógio de Ruwi é linda, tanto de dia como de noite, quando é iluminada por um fascinante jogo de luzes.

A Grande Mesquita de Muscat é um dos principais atrativos: foi encomendado pelo sultão Qaboos, em 1992. Inaugurada em 2001, pode acomodar até 20 mil adoradores. Tem um tapete de oração enorme de 70 x 60 m (230 x 197 pés) que fica na sala principal da Grande Mesquita de Muscat. É a segunda maior de tecido feita à mão: um tapete de peça única que levou quatro anos para ser concluído.

Isso sem falar nas outras regiões de Omã que valem muito a pena visitar: a maior cidade da área de Ad Dakhiliyah, que foi a capital do país, chama-se Nizwa. A cidade fica a cerca de 140 quilômetros de Muscat. A população é estimada em cerca de 72 mil pessoas. Um povo que, aliás, é extremamente generoso e alegre, e – ultimamente – tem adorado receber novos visitantes!

Parabéns Sultanato de Omã! Espero vê-lo em breve.

 

Comentários