Os transtornos de ansiedade Vários aspectos podem contribuir para o crescimento do transtorno de ansiedade.

0

Os transtornos de ansiedade vêm crescendo, cada vez mais, no mundo contemporâneo. Acredita-se que, além da alteração orgânica, algumas situações como as exigências do mundo moderno, o estresse, as alterações da atualidade que levam à redução da qualidade de vida, entre outras, facilitam o desenvolvimento da ansiedade.

A ansiedade cursa com sintomas, como:

  • Medo intenso e patológico
  • Diarreia
  • Tontura
  • Sudorese
  • Calafrios ou ondas de calor
  • Palpitações
  • Hipertensão
  • Taquicardia
  • “Formigamento”
  • Tremores
  • Aumento da frequência urinária

A maioria das pessoas não sabe que os transtornos de ansiedade podem ser classificados em:

TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA: ansiedade antecipatória (preocupação antecipada com algo que ainda vai ou não ocorrer), inquietação ou sensação de estar com os “nervos à flor da pele”, fadiga ou cansaço, dificuldade de concentração ou sensações de “branco”, irritabilidade, tensão muscular, perturbação do sono.

TRANSTORNO DE PÂNICO: sintomas ansiosos juntamente com medo de morrer e/ou de enlouquecer, que duram, em média, de 30 a 60 minutos. Muitos têm a sensação de que estão tendo um infarto e procuram o cardiologista, mas, na verdade, estão apresentando um ataque de pânico.

TRANSTORNO DE ANSIEDADE SOCIAL: preocupação excessiva com situações sociais ou de desempenho, em que há necessidade de se expor, medo de ser avaliado e criticado. O medo da exposição pode ser: apresentar-se em público, alimentar-se na frente de pessoas desconhecidas, etc.

FOBIA ESPECÍFICA: Medo acentuado e persistente, excessivo ou irracional, revelado pela presença ou antecipação de um objeto ou situação fóbica. As mais comuns são: sangue-injeção-ferimento, animais e situacionais (altura, locais fechados, etc.).

TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO: presença de pensamentos obsessivos, como, por exemplo, “se eu não lavar as mãos, algo ruim irá acontecer com minha mãe”, além de compulsões (conhecidas popularmente como manias): contaminação (lavar as mãos excessivamente), verificação (a mais comum é de verificar se a porta está fechada), simetria (os objetos precisam estar alinhados), entre outras.

TRANSTORNO DO ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO: exposição a um evento traumático, recordações aflitivas, pesadelos, revivescência do trauma, insônia, hipervigilância, resposta de sobressalto exagerada. O trauma é psíquico, como: presenciar um homicídio ou um suicídio, catástrofes, abusos físico e sexual, etc.

TRANSTORNO DE ANSIEDADE DE SEPARAÇÃO: mais comum em crianças e adolescentes. É o medo de estar longe de figuras de vínculo, de que algo ocorra e nunca mais as veja, seguir a pessoa pela casa, telefonar insistentemente para saber onde o pai e/ou a mãe estão, por exemplo, etc.

Se você se identifica com algum desses sintomas descritos ou os percebe em seus familiares, não deixe de procurar assistência psiquiátrica e psicológica, visto que a ansiedade causa muito sofrimento e pode ser inclusive, incapacitante.

“Aguardem o artigo da semana que vem que abordaremos mais sobre esse assunto de extrema relevância”. (Parte I)

 

Dr. Estácio Amaro

Presidente da Associação Paraibana de Psiquiatria

Membro Titular da Associação Brasileira de Psiquiatria

Mestre em Psiquiatria pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psiquiatra de crianças, adolescentes e adultos

Comentários