O Vírus no cinema

0
https://www.bsbmagazine.com.br/o-virus-no-cinema/

Em um suspense produzido em 2013, uma região da Coreia do Sul é tomada por uma doença letal e vive dias caóticos ao entrar em quarentena. A direção do filme “Flu” é do Sul Coreano Kim Sung-soo e conta com grande elenco, incluindo atores e atrizes sul coreanos, americanos e ingleses.

A produção envolve milhares de figurantes e uma fotografia de excelente qualidade. O filme retrata a realidade do vírus que matou milhares de pessoas no mundo em 2009, o H1N1, porém, traz uma versão do mesmo vírus bem mais resistente e de rápida contaminação, causando pânico em toda a população de uma cidade próxima a Seul.

Governantes ficam perdidos, sem saberem como agir, quando se deparam com milhares de casos que surgem da noite para o dia, lotando os hospitais de doentes que saem de todos os cantos. Ao acionarem a OMS, recebem as piores e mais catastróficas previsões.

Criam campos de concentração e isolamento, pra onde levam pessoas doentes e saudáveis que são tiradas de suas casas e passam por um rigoroso regime de testes e análises. As pessoas são numeradas e separadas das famílias e muitas são incineradas ainda vivas. O caos é implantado, gerando desespero e histeria.

A situação se resolve com a ajuda de médicos, alguns heróis do corpo de bombeiros e o pulso firme do presidente do país, que decide peitar o prefeito, o governador e o presidente da OMS, que deseja exterminar todos os infectados.

A decisão do presidente passa por proteger os habitantes e acreditar na cura proposta por uma médica que encara perturbadores momentos de angústia e sofrimento, para salvar a vida da filha que se contaminou, ao ter contato com o paciente zero. Ela tem a ajuda de um estranho do corpo de bombeiros que no dia anterior tinha salvado sua vida após um acidente de trânsito.

Uma produção que deve ser assistida por aqueles que admiram a sétima arte, curtem bons filmes fora de Hollywood e desejam conhecer melhor o que se passa por trás de uma complexa operação de combate a uma pandemia ao mesmo tempo em que precisam administrar a vida de milhões de pessoas que tem suas vidas completamente alteradas de uma hora pra outra.

Por: Constâncio Viana Coutinho

Comentários