Música, produtividade e criatividade Veja a influência da música na produtividade e criatividade, não apenas no trabalho

0
(Créditos: pixabay)
(Créditos: pixabay)

Uma das diversas — e melhores — formas de manifestação artística há séculos, a música tornou-se parte importante do desenvolvimento humano. Do berço (com o clássico Mozart) ao ambiente de trabalho (com composições que tornam seu dia menos chato), independente do estilo que você ouça, ela é simplesmente inseparável de nossas tarefas diárias. Para entender melhor como isso funciona, confira o estudo abaixo.

Música deixa trabalhos repetitivos mais prazerosos

 

(Créditos: Reprodução/GIPHY)
(Créditos: Reprodução/GIPHY)

A eficácia da música depende do quão imersiva é uma tarefa, depende mesmo é da criatividade utilizada para desempenhar o trabalho. Quando há uma função de natureza repetitiva, pesquisas sugerem que música é plenamente útil.

“Uma série de experimentos investigou a relação entre ouvir uma música de fundo (também chamada de background) e uma atividade repetitiva: os resultados apoiaram fortemente que a ideia traz bons resultados econômicos para as indústrias”.

Contudo, sons dissonantes (que destoam, não soam bem) não têm impacto na produtividade, enquanto sonoridades em tom maior têm resultados melhores: “sujeitos que ouviram músicas BGM (sigla para músicas de background) atingiram maior produtividade quando ela estava em tom maior”.

Em um local barulhento, a música é uma válvula de escape

(Créditos: Reprodução/GIPHY)
(Créditos: Reprodução/GIPHY)

Um ponto é claro: um local barulhento pode travar a produtividade pessoal. Talvez um par de headphones não distraia tanto quanto algumas empresas pensem:

“A pesquisa da Dra. Lesiuk foca na maneira em que a música afeta a área de trabalho. Em um estudo envolvendo especialistas de informação tecnológica, ela descobriu que as pessoas que ouviam canções completavam suas tarefas mais rápido e tinham melhores ideias quando comparadas aos que ficavam com o [conturbado] áudio ambiente.”

Enquanto um espaço aberto encoraja mais colaborações, o barulho pode ser demais para algumas pessoas que lidam com trabalhos complexos. Se não há escapatória física — como uma sala privada — então um par de headphones pode ser a alternativa mais aconselhável. Se quiser saber mais sobre os problemas causados por excesso de falação no escritório, fizemos uma publicação especial que você pode conferir clicandoaqui.

Letras são uma distração fácil

(Créditos: Reprodução/GIPHY)
(Créditos: Reprodução/GIPHY)

Para um trabalho intensivo, letras destroem o foco. Uma pesquisa mostrou que tagarelice nítida — a fala pode ser claramente ouvida e compreendida — dispersa sua atenção. Tentar descobrir o que outra pessoa está dizendo muda o seu foco de atenção e é o principal motivo pelo qual a fala é considerada o pior elemento de um escritório barulhento. Em um estudo, 48% dos participantes listaram conversas como o som que mais causa distrações.

Tentar escrever algo, por exemplo, enquanto você ouve letras de uma música seria como… tentar manter um bate-papo com alguém enquanto outra pessoa fala com você e enquanto você toca guitarra. Ufa! Ou seja, encrenca total.

Letras não costumam ter o mesmo efeito em trabalhos criativos que não especificamente lidam com a arquitetura verbal. Este estudo, que teve como base a pesquisa com desenvolvedores de softwares, sugere que música cantada ajudou a manter o fluxo de trabalho.

Sugestões musicais

(Créditos: Reprodução/GIPHY)
(Créditos: Reprodução/GIPHY)
  • Música clássica: funciona porque geralmente não é cantada, então não há motivo para você se distrair com letras filosóficas. No entanto, as mais agitadas (como Toccata & Fugue em Ré menor) não atingem o mesmo efeito que algo mais melódico (como em Für Elise).

  • Música eletrônica: as mais ambiente (ou a ambient electronic) costumam ser repetitivas na dose certa. Ao contrário do fluxo repleto de “altos e baixos” dos instrumentais, os produtores seguem um caminho que capaz de ilustrar paisagens tranquilas e reflexivas. Uma boa sugestão é esta composição do Vanilla.

  • Músicas de jogos: os compositores de trilhas sonoras de games usam a música para causar uma maior imersão ao invés de distrair o jogador. O melhor exemplo, sem sombra de dúvidas, é a franquia SimCity. A Maxis entende bem do estilo de música que ajuda o jogador a manter-se focado em sua cidade, não importa a situação. Destaque especial para a trilha de SimCity 2000.

  • Qualquer outro estilo: funciona se você seguir as dicas acima e escolher algo com uma letra que não seja tão marcante, nem seja tão dramática ao ponto de tirar sua atenção do trabalho. Pode ser que você curta tanto um John Frusciante quanto umPink Floyd nas horas vagas, mas o importante é manter um bom fluxo de trabalho e que seja agradável para os seus ouvidos.

Pesquisas: Science Direct, PubMed, Sage Journals, helpscout.

Fonte: Vip - Por: 
Comentários