MPF pede ressarcimento de R$21 bilhões da JBS por roubo no BNDES Joesley Batista, Guido Mantega e Antônio Palocci respondem por improbidade administrativa

0

A Procuradoria da República no Distrito Federal apresentou ação civil pública por improbidade administrativa contra a JBS e mais 14 pessoas, entre elas o empresário Joesley Batista, os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci e o ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho.

Eles são acusados de fraudes nas operações de apoio financeiro do BNDES ao frigorífico, especialmente no processo de internacionalização da empresa.

PUBLICIDADE

Mark imóveis
Seu imóvel, do jeito que você sonhou

No total, o Ministério Público Federal pediu o ressarcimento de R$ 21 bilhões aos cofres públicos, valor acima do acertado pelo grupo J&F em seu acordo de leniência, que foi de cerca de R$ 10 bilhões.

“Além da condenação por improbidade, o MPF pede a devolução de 144.206.155 ações JBSS3 à BNDESPar e demais ressarcimentos de danos, acrescidos de multa e do dano moral coletivo, totalizando uma devolução de mais de R$ 21 bilhões”, diz em nota a Procuradoria.

Segundo a nota, as irregularidades teriam ocorreram entre 2007 e 2011 e em razão delas a BNDESPar deixou de receber 144.206.155 ações com valor atualizado de R$ 3.958.458.954,75.

“Houve ainda dano advindo do pagamento de ‘taxas de administração’ pela adesão injustificada e antieconômica ao Fundo FIP Prot (R$ 20.547.737,46,) e o dano decorrente da dispensa indevida da cobrança de juros no empréstimo do BNDES à empresa JBS, em 2005, para a compra da empresa argentina Swift (R$ 69.738.370,53, atualizados), totalizando um prejuízo de R$ 4.207.370.556,96 ao banco público”, diz a nota

Comentários