“Mesada” reforça impeachment de Dias Toffoli Bia Kicis questiona qual contra partida Toffoli prestava para receber 100 mil por mês, e entrevista ao BsbMagazine

0

O repasse de dinheiro mensal, feito pela advogada Roberta Rangel que é e esposa de Dias Toffoli para contas gerenciadas pelo marido, que é ministro do Supremo Tribunal Federal, será usado para reforçar o pedido de impeachment, apresentado no último dia 12 por um grupo de juristas, entre eles, a ex-procuradora Bia Kicis.

Segundo a jurista, Toffoli não poderia ter atuado em causa de interesse do Banco Mercantil e pior ainda “A historia do banco mercantil, já consta no processo e transparece que na realidade ele poderia estar recebendo um dinheiro por fora. Um ministro do Supremo, ele tem que parecer honesto e esses fatos levantam suspeitas de que ele está recebendo valores por alguma contraprestação”, diz Bia Kicis em entrevista ao BsbMagazine.

A ex-procuradora afirma que entrará, no processo de pedido de impedimento do ministro, com aditamento trazendo os novos fatos que foram divulgados sobre a “mesada” de R$ 100 mil que Toffoli recebe da esposa, que é diretora de um grande escritório de advocacia e que defende empresas poderosas. “Por quais tipos de serviços prestados ele estaria recebendo essa “mesada”? um ministro deve ficar acima de qualquer suspeita” diz Bia kicis.

A mesada de 100 mil reais que ele recebe da sua mulher, a advogada Renata Rangel, foi considerada suspeita de ser lavagem de dinheiro pela área técnica do Banco Mercantil, mas o Coaf não foi informado.  .

Comentários