Mais de 3.000 mortos por covid-19 em 24 horas nos EUA, assombram americanos ineficiência do governo Donald Trump contra pandemia alastra medo com 220.000 novos contaminados em um dia

0
mortes por covid-19

A atitude negacionista do presidente Donald Trump e a ausência de saúde pública universal, combinadas com erros iniciais, aumentaram a crise de saúde no país. Em suas declarações públicas desde o início da crise, Trump espalhou a negação da gravidade do novo coronavirus, relativizou a escala da crise e criticou a mídia, chamando de alarmista. Ele apontou no a suposta responsabilidade das “notícias falsas” na crise e insistiu em minimizar o seu alcance. “No ano passado, 37.000 norte-americanos morreram de gripe comum” disse.

Nesta quarta-feira (9) os Estados Unidos registraram o maior número diário de mortes causadas pela Covid-19 desde o início da pandemia. O total é maior do que o acumulado por qualquer outro país no mundo. Segundo a Universidade Johns Hopkins, foram 3.124 óbitos em 24 horas. Já o número de novos casos notificadas apenas nesta quarta foi de 220.000.

Mais de 5 milhões de pessoas contraíram a Covid-19 nos Estados Unidos e quase 290.000 morreram da doença, deixando o país na vanguarda das estatísticas mundiais. O número de pacientes hospitalizados por Covid-19 nos Estados Unidos também bateu recordes, com 106.000 pessoas internadas somente nesta quarta.

Apenas na Califórnia (oeste), onde regiões inteiras foram reconfinadas no início da semana, foram registrados mais de 30.000 casos de coronavírus nesta quarta-feira, um recorde diário para um estado, de acordo com o Covid Tracking Project.

Há duas semanas, os Estados Unidos regularmente ultrapassam a barreira de 2.000 mortes por dia, como aconteceu na primavera boreal, no pico mais alto da primeira onda da epidemia. Diante dessa retomada assustadora, os americanos continuam esperançosos com a distribuição iminente de uma vacina.

Os dados para a vacina Pfizer/BioNTech serão analisados por especialistas independentes dos Estados Unidos nesta quinta-feira e podem ser licenciados nos próximos dias, enquanto os dados para a vacina da Moderna serão analisados na próxima semana.

(Com AFP)

Comentários