Lui Veronese leva a gastronomia brasileira em evento na Bélgica

0

“Eu sou a terra, eu sou a vida. Do meu barro primeiro veio o homem. De mim veio a mulher e veio o amor. Veio a árvore, veio a fonte. Vem o fruto e vem a flor.” Esse poema tão delicado e feminino de Cora Coralina, a doceira que se tornou um dos grandes ícones da poesia do Centro-Oeste reflete o estilo do chef Lui Veronese que tem a alma da mãe terra em sua forma de cozinhar.

Foto: Mário Galiano – Lui posa para a revista Mangiare e BSB Magazine no Hotel Palacio em Portugal.

Lui é sem duvida um dos chefs da nova geração que mais se destaca no Brasil. E tudo começou nos braços dos pais Marco e Maria Claudia Veronese que levavam o pequeno filho para o jardim de casa e apresentavam o aroma das ervas que cultivavam. Um aprendizado que o jovem conta emocionado.
“Meus pais foram os maiores incentivadores para a minha escolha na profissão, com eles aprendi a saborear os alimentos, entender os biomas do Brasil e seguir em frente com o meu sonho”, comenta Lui.

Aos 31 anos o jovem chef tem experiência de veterano. Já trabalhou com o grande Ferran Adrià, Juan Mari Arzack, Alex Atala e os irmãos Roca do estreladíssimo El Celer de Can Roca, na Espanha. Ele tem forças par desbravar muitas cozinhas mundo a fora, pois vivência e conhecimento tem de sobra.

Lui tem muito mais que talento. Criativo, autoral e elegante, assim defino a cozinha do chef que encara tudo com muita nobreza.

Em Brasília já se aventurou em alguns restaurantes. Mas a cidade é pequena para ele. O público não comporta. Ainda tem a cultura do risoto e massa. Para encher a barriga e justificar o pagamento a um restaurante. Ainda há muito o que amadurecer nesse universo gastronômico em evolução em doses de Rivotril, em Brasília.

Lui vem da cozinha de vanguarda, transpõe em seus pratos a escola vivida com Ferran Adrià. O mundo o espera. Repito isso constantemente como melodias angelicais em seus ouvidos, em alguns momentos grito e esbravejo como uma leoa no cio, sob o olhar doce e sutil de um chef que merece destaque e respeito de críticos e gourmands.

No Eat Brussels, na Bélgica, com a equipe : André Amorim, Jenny Lizarbe e Jairo Miranda

Convidado para eventos em todo o país e no exterior, Lui levou sua cozinha para o Eat! Brussels, na Bélgica, entre os dias 5 a 8 desse mês. Na mala, elementos do bioma do cerrado e Amazônia, como tucupi, baru, buriti, pequi e mandioca. E também sua equipe e bons e honestos chefs de Brasília como André Amorim, Jenny Lizarbe e Jairo Miranda.

Lui recebe o carinho dos portugueses os chefs Vitor Sobral, Henrique Sá Pessoa e o enólogo Luís Pato.

Na Mangiare é curador dos eventos e ações internacionais que a revista promove. Este ano já passou em alguns países, inclusive em Lisboa cozinhando com o divertido Vitor Sobral, para o projeto Casa Mangiare pelo mundo. Recebeu elogios de Henrique Sá Pessoa. Convidado para palestras, aula-show e consultorias, a agenda do chef vive em ebulição. E ele ainda tem tempo para cuidar do pequeno Luca de três anos que é sua grande paixão. Marca presença nos eventos e está sempre disposto a novas experiências. Inteligente e leve, Lui vive para a gastronomia. Respira o ar da floresta e mergulha profundamente no clima do cerrado. Busca novos sabores com produtores locais e dedica amor ao que faz.
Lui é orgulho para Brasília.

Lui é motivo de alegria numa mesa de jantar.
Palmas para Lui Veronese.
Viva!!

Comentários