LAVA JATO prende intermediário da Jurong Preso era carregador de propinas, fruto de roubo na Petrobras

0

Nesta manhã de segunda-feira (1º) a Operação Lava Jato  por determinação da 13a. Vara Federal Criminal de Curitiba, prendeu  Guilherme Esteves de Jesus.

Guilherme foi preso pela segunda vez na Lava Jato
Guilherme foi preso pela segunda vez na Lava Jato

O criminoso lavava dinheiro de propinas pagas ao PT, a Renato Duque, a Pedro Barusco e a funcionários da Sete Brasil para o estaleiro Jurong.

As propinas foram obtidas em  contratos de construção de sondas de perfuração de águas profundas para exploração do pré-sal.

“O acusado Guilherme intermediaria, segundo a acusação, as propinas pagas pelo Estaleiro Jurong, contratado pela Sete Brasil para construção de seis sondas, cujo consumidor final é a Petrobrás […] Teriam sido pagos USD 8.211.614,00 de propina, sendo que parte encontra, em cognição sumária”, citou o então juiz Moro em um despacho no processo.

 

Comentários