LAVA JATO CONDENA DIRIGENTES DA QUEIRÓZ GALVÃO E IESA

0

O Juiz titular da Operação Lava Jato,
Luiz Antonio Bonat condenou nesta quarta-feira (16), cinco ex-executivos da empreiteira Queiroz Galvão e da Iesa Óleo e Gás por corrupção, lavagem, cartel, fraude a licitações e organização criminosa.

Os condenados foram acusados de subornar com mais de R$ 6,3 milhões em propina para o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e políticos do PP para garantir contratos com a refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e com o Comperj, no Rio de Janeiro.

O ex-presidente da Queiroz Galvão, Petrônio Braz Júnior, foi condenado a 10 anos e 9 meses de prisão e o Valdir Lima Carreiro, ex-presidente da Iesa, a 17 anos 2 meses de prisão.

Já Othon Zanóide de Moraes Filho, ex-diretor da Queiroz Galvão, pegou 23 anos e 3 meses de prisão. André Gustavo de Farias Pereira, ex-diretor da Queiroz Galvão, foi apenado em 10 anos e 9 meses de prisão e
Otto Garrido Sparenberg, ex-diretor da Iesa, foi condenado a 10 anos e 9 meses de prisão.

Apesar de o Juiz ter fixado o cumprimento das penas em regime fechado, eles poderão recorrer em liberdade, já que a condenação ainda é em primeira instância.

Segundo Bonat, “a prova revela sofisticação do mecanismo de pagamento dos valores oferecidos e prometidos, com participação de intermediadores e operadores financeiros, havendo dedução da propina repassada a agentes políticos do acerto havido com Paulo Roberto Costa”.

Comentários