Lava Jato cobra mais de R$ 3 Bilhões de políticos, partidos e empreiteiras por desvios na Petrobras Ação conjunta pede devolução de dinheiro desviado em corrupção em Abreu de Lima e Comperj

0
Operação Lava Jato

A Operação Lava Jato e a Petrobras entraram na justiça com uma ação civil pública, em conjunto, responsabilizado por crimes de corrupção e pedindo pagamento de mais de R$ 3 bilhões os partidos políticos MDB e PSB, integrantes do PP e PSDB e envolvidos no escândalo do roubo na Petrobras.

Os senadores Valdir Raupp (MDB-RO) e Fernando Bezerra (PSB-PE), o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) também devem devolver dinheiro roubado aos cofres públicos.

Os herdeiros do ex-senador Sérgio Guerra (PSDB-PE) e do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) também vão ver o dinheiro roubado por seus entes queridos ressarcindo o desvio de verba.

A Lava Jato quer a perda dos cargos, suspensão de direitos políticos por dez anos e perda dos direitos de contagem e fruição da aposentadoria pelo regime especial de todos os envolvidos em dois esquemas de desvios de verbas da Petrobras. Um sobre o pagamento de propina para abafar os casos na CPI da Petrobras, em 2009 e outro sobre os contratos vinculados à diretoria de Abastecimento, relacionados com a construtora Queiroz Galvão.

Outras pessoas, entre elas executivos e funcionários da Queiroz Galvão e o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, também são responsabilizados pela Lava Jato como criminosos no esquema de corrupção.

Devem devolver R$ 595.320.614,50 e mais o MDB, Valdir Raupp, André Gustavo de Farias Ferreira, Augusto Amorim Costa, Othon Zanoide de Moraes Filho, Ildefonso Colares Filho (espólio dos herdeiros), Petrônio Braz Junior e as empreiteiras Queiroz Galvão e Vital Engenharia Ambiental. Além disso, cada um desses deverá pagar separadamente por danos morais R$ 595.320.614,50.

Eduardo Campos, Fernando Bezerra e o PSB devem devolver R$ 258.707.112,76, mais três vezes esse valor em multas pela propina desviada da Refinaria Abreu e Lima; e danos morais coletivos e individuais de R$ 258.707.112,76 cada um.

Sérgio Guerra e Eduardo da Fonte vão devolver em conjunto R$ 107.781.450,00, desviados do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ), pagar multa civil de três vezes o valor da propina e duas vezes o valor das irregularidades contratuais e cada um terá de pagar danos morais coletivos e individuais em montante de R$ 107.781.450,00 cada.

Maria Cléia Santos de Oliveira e Pedro Roberto Rocha vão ter de devolver R$ 500 mil mais multa de R$ 1.500.000,00, e danos morais de R$ 1 milhão.

Aldo Guedes Álvaro e João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho devolverão R$ 40.724.872,47 roubados mais multa de R$ 122.174.617,41, e danos morais de R$ 81.449.744,94.

Comentários