Justiça manda prender João de Deus Mais de 300 mulheres e a própria filha denunciam médium por abusos e estupros

0

A Justiça de Goiás determinou a prisão preventiva do médium João Teixeira de Faria, o “João de Deus”. O tido até então, como líder espiritual de milhares de seguidores é acusado de abusar sexualmente de suas clientes, durante tratamentos espirituais que aconteciam na cidade goiana de Abadiânia, a 100 km de Brasília.

Na quarta-feira, o Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO) protocolou o pedido de prisão na promotoria de Abadiânia. João de Deus é investigado por uma força-tarefa que apura denúncias de abuso sexual feitas por mulheres atendidas em seu centro espiritual, a Casa Dom Inácio de Loyola. Até o momento, cerca de 330 acusações já foram feitas à Promotoria, inclusive por sua filha que o acusa de ter sido vítima do pai.

Os supostos casos de abuso sexual vieram à tona na sexta-feira, 7, em entrevistas de seis mulheres ao programa Conversa com Bial, da TV Globo. Além do MP goiano, promotores de São Paulo, Paraná e Minas Gerais abriram canais para receber denúncias contra o médium.

Comentários