Justiça cega: PGR alivia Lewandowski e diz que testemunha não viu diálogo com preso por chamar STF de vergonha Procuradora Geral pediu arquivamento de investigações

0

Apesar de todo o Brasil ter assitido ao vídeo em que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski discute com outro passageiro, o advogado Cristiano Caiado de Acioli,  feito em um vôo, que culminou com a prisão do manifestante, a PGR disse que a testemunha apresentada não presenciou a conversa.

Em mensagem enviada ontem ao STF, Raquel Dodge negou o pedido de abertura de investigação por abuso de autoridade do ministro.

A procuradora-geral argumentou que uma das testemunhas que depôs em favor do advogado preso pela PF, a mando de Lewandowski,  após dizer que o “Supremo é uma vergonha”  não presenciou nenhum diálogo dele com o ministro”, apesar de os vídeos estarem anexados ao processo e em vários sites.

Parece que em se tratando de investigar os magistrados, a justiça é mais cega e surda do que em outros casos. Judiciário todo é uma vergonha.

Comentários