Juiz libera ex-presidente da Câmara de prisão domiciliar Henrique Alves do MDB também foi ministro de Temer e Dilma

0

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves, que estava em prisão domiciliar, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, desviado da construção da Arena das Dunas em Natal,  foi agraciado pelo juiz Francisco Eduardo Guimarães Farias, da 14ª Vara Federal de Natal  e

Alves vai responder em liberdade total, aos processos das operações Manus e Sépsis,  depois de ter ido para a prisão domiciliar em maio deste ano, também beneficiado pela justiça de primeira instancia do estado onde manda.  Ele estava preso desde junho de 2017.  A operação Sépsis, investiga o roubo de dinheiro público no Fundo de Investimentos do FGTS.

Antes de ser beneficiado com a prisão domiciliar, Alves estava preso na Academia de Polícia Militar, o que já era considerado um privilégio para poucos bandidos, mas concedido ao ex-ministro do Turismo de Michel Temer e Dilma Roussef.

Outro ex-presidente da Câmara que é investigado no mesmo caso, continua preso em Curitiba. Os dois receberam propina disfarçada de doação eleitoral da OAS e Odebrecht, as construtoras mais corruptoras do país,  que construíram o estádio da Copa de 2014 em Natal.

A investigação do esquema de pagamento de propina para liberação de recursos do FI-FGTS da Sépsis apontou , além de Henrique Alves e Eduardo Cunha, atuavam em quadrilha os criminosos Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa, o empresário Alexandre Margotto e o doleiro do MDB, Lúcio Funaro.

Comentários