João do Demo pagava justiça? Médium foi preso em flagrante por contrabando e com arma na cintura e cometeu crimes por décadas Crimes ocorriam em Goiás e investigações nunca prosperavam

0

O médium foragido por ter estuprado mais de 300 mulheres é do tipo “Clínica Geral”. Atuava em diversos esquemas criminosos com a proteção da justiça que nada fazia a não ser deixar que seguisse cometendo seus crimes por décadas.

A impunidade de pessoas conhecidamente criminosas, mostra que o crime está entranhado nas delegacias que investigam, nos procuradores que oferecem denúncias frágeis e nos juízes que não mandam para a prisão, sujeitos como o estelionatário, contrabandista e estuprador João Tavares de Faria, o João de Deus, que passou a ser chamado nas redes sociais por   “João do Demo”.

João do Demo está tendo seus crimes desvendados, depois que  a barreira de proteção ao criminoso foi ultrapassada pela imprensa, com a publicação de queixas de suas vítimas por estupro na televisão, no programa de Pedro Bial.

Documentos revelam que na década de 80, o médium era contrabandista. João foi preso pela Polícia Federal em 1985 transportando 1 tonelada de autunita, um mineral radioativo, valioso e raro, extraído de um garimpo clandestino e com uma arma na cintura. Nunca deu em nada e ficou protegido pela justiça criminosa e omissa.

João Tavares do Demo também já foi investigado diversas vezes por crimes contra mulheres, contra a própria filha e nunca deu em nada? Sorte? Proteção divina ou do diabo?

João do Demo também já foi investigado por formação de quadrilha e crimes financeiros, mas a justiça de Goiás só descobriu agora, depois de centenas de vitimas apontarem o charlatão como criminoso cruel e dominador do judiciário fidelizado.

Comentários