Hacker prometeu acabar com Lava Jato e soltar Lula para Manuela D’Ávila Inquérito apura a invasão de celulares de autoridades

0

O Hacker Walter Delgatti Neto prometeu invalidar a Lava Jato e libertar Lula em conversas com à ex-deputada Manuela d’Ávila.

As mensagens publicadas pelo site The Intercept Brasil, tinham objetivo de libertar o ex-­presidente Lula da prisão e anular os processos da maior operação de combate à corrupção no Brasil, segundo mostram documentos anexados pela perícia nos celulares apreendidos no inquérito que apura os crimes.

A proposta foi feita para a ex-deputada Manuela d’Ávila, a intermediária entre os hackers e Glenn Greenwald do Intercept.

De acordo com as investigações, a conversa de Manuella com os criminosos cibernéticos começou no dia 12 de maio deste ano, em uma mensagem enviada pelo número do senador Cid Gomes no Telegram: “Consegue confiar em mim?”. Manuela respondeu: “Sim. 100%”.

O Hacker respondeu: “Olha, eu não sou o Cid. Eu entrei no telegram dele e no seu. Mas eu tenho uma coisa que muda o Brasil hoje. E preciso contar com você”.

O haker continuou: “Eu entrei no telegram de todos membros da força tarefa da lava jato. Peguei todos os arquivos. Dá para soltar Lula hoje. Derrubar o MPF”.

No dia seguinte, 13 de maio, Manuela recebeu outra mensagem do hacker afirmando que ele tinha hackeado ministros do STF, e possuía diálogos que poderiam invalidar todos os processos da Operação Lava-Jato.

Manuela d’Ávila então, fez a ponte entre o hacker e Glenn Greenwald.

Menos de um mês depois, Glenn publicou em seu site as mensagens que atribuiu aos procuradores da Lava-Jato e ao ex-juiz Sergio Moro.

Lula pediu ao STF a suspeição de Moro como previa o Hacker que está preso na Papuda em Brasília e a Lava Jato continua prendendo corruptos, apesar de o Supremo Tribunal Federal soltar os criminosos do colarinho branco em uma verdadeira operação contrária, a “Solta a Jato”.

Comentários