“Gripezinha” já matou mais de 170.000 no Brasil

0

Mesmo com o sistema nacional de registros de mortes e casos de Covid-19 do Ministério da Saúde, estar com problemas desde o dia 6 de novembro, quando diversos estados passaram a relatar dificuldades de acesso ao e-SUS, as secretarias estaduais mantém a divulgação dos números da pandemia do novo coronavírus.

O Brasil registrou nesta quarta-feira 25, o triste número de 170.179 mortos por Covid-19, chamado pelo presidente de “gripezinha”.

O negacionismo do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a gravidade da pandemia, reflete na incompetência generalizada no Ministério da Saúde, que não consegue sequer manter aberto o sistema de dados do Sistema Único de Saúde, o SUS.

O Ministerio divulgou dados incompletos ou até mesmo sem atualizações diárias durante alguns dias. Foi o caso do estado de São Paulo, o mais afetado pela pandemia em números absolutos, que não teve mortes registradas em 6 dos 8 dias a partir daquela data.

A ausência de atualizações e os números incompletos seguem afetando a comparação para análise de tendência de alta, estabilidade ou queda nos óbitos por Covid, nos estados prejudicados e no Brasil.

Segundo os dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta terça-feira (24), o país registrou 638 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 491. A variação foi de +54% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de alta nas mortes por Covid.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 6.121.449 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 33.445 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 30.350 novos diagnósticos por dia, a maior marca desde 20 de setembro. Isso representa uma variação de +34% em relação aos casos registrados em duas semanas, e também indica tendência de alta.

A taxa de transmissão (Rt) do novo coronavírus (Sars-CoV-2) para esta semana no Brasil é a maior desde maio, apontam dados do Imperial College de Londres, no Reino Unido.

Dez estados apresentaram alta na média móvel de mortes: RS, SC, ES, MG, RJ, SP, GO, MS, AM e CE.
Os dados são do consórcio de imprensa montado para levantar os reais números da covid-19, desde que Bolsonaro determinou ao ministério da Saúde, ocultar dados reais.

Comentários