Governo Expulsou 300 servidores em seis meses Eles foram afastados por irregularidades contra o patrimônio público

0
Palácio do Planalto crepúsculo

O governo federal expulsou 300 servidores públicos que cometeram irregularidades no primeiro semestre deste ano, segundo relatório divulgado pela Controladoria-Geral da União (GCU) nesta terça-feira (24). De acordo com o órgão, este é o maior número de expulsões para o período desde o início da séria histórica, em 2003, sem contar com os servidores afastados das empresas estatais como a Petrobrás.

Os servidores afastados por corrupção são a maioria com 192 casos, ou 64% do total dos afastados. Para 85 servidores a pena foi aplicada por abandono de cargo, ausência sem justificativa ou acumulação ilícita de cargos.

Segundo a CGU, usar o cargo para proveito pessoal, receber propina ou vantagens indevidas, usar recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares, improbidade administrativa, lesão aos cofres públicos e destruir o patrimônio nacional são considerados atos relacionados à corrupção.

Foram 243 demissões de servidores efetivos, 45 cassações de aposentadorias, e 12 destituições de ocupantes de cargos em comissão.

Desde 2003, foram expulsos 7.014 servidores públicos, sendo que 5.838 foram demitidos, 594 tiveram a aposentadoria cassada e 582 foram afastados de suas funções comissionadas. Os empregados de empresas estatais, como a Caixa, os Correios e a Petrobras não estão contabilizados neste levantamento da CGU.

Os servidores ficam impedidos de voltar ao serviço público e ficam inelegíveis por oito anos, nos termos da Lei Ficha Limpa.

Publicidade:

Comentários