Gilmar Mendes solta três no mesmo dia que MPF oferece denúncia contra a quadrilha Investigados são de multinacionais e secretaria de Saúde e no Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), no Rio de Janeiro.

0
Gilmar Mendes solta
Gilmar Mendes solta

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), soltou três investigados pela Operação Ressonância, desdobramento da Lava-Jato, no Rio de Janeiro, ao mesmo dia em que o Ministério público Federal – MPF denunciou 23 integrantes desta quadrilha, que assaltou os cofres públicos no Rio de janeiro.

Nesta terça-feira (7), os beneficiados pelo ministro Gilmar Mendes foram Daurio Speranzini Junior, executivo da GE e ex-executivo da Philips; Miguel Iskin, da Oscar Iskin; e Gustavo Stellita, que estavam presos desde julho deste ano nas operações s Fatura Exposta e Ressonância. Entre os denunciados pelo MP, o ex-secretário de saúde do Rio, Sérgio Côrtes e Daurio Speranzini Junior.

O esquema de corrupção envolve multinacionais na secretaria de Saúde e no Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), Sérgio Cabral era o chefe da quadrilha que roubou pelo menos, R$300 milhões com ajuda dos empresários comparsas.

Comentários