Gilmar Mendes solta 15 presos da Lava Jato em 17 dias, hoje soltou acusado de roubar R$ 10 Milhões Ministro “LAXANTE” provoca diarreia carcerária

0
Gilmar Mendes solta
Gilmar Mendes solta

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes soltou mais um preso pela LAVA JATO. Desta vez o ministro apelidado de “Laxante” por movimentos sociais soltou Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio do Rio de Janeiro, que estava preso desde o dia 23 de fevereiro, por decisão do juiz Marcelo Bretas, na Operação Jabuti, que é um desdobramento da Operação Lava Jato.

Diniz é o 15º preso pela Lava Jato do Rio, a ser solto por Gilmar Mendes nos últimos 17 dias. Ele faz parte da quadrilha do ex-governador Sérgio Cabral.

A verdadeira diarreia carcerária patrocinada por Gilmar Mendes coloca de volta nas ruas criminosos contumazes e que não abandonam o crime, ao contrário, se envolvem em ameaças contra as investigações como o Tucano Paulo Preto, solto por Gilmar Mendes duas vezes há dois dias.

Veja a lista dos nomes da diarreia carcerária promovida por Gilmar Mendes:

Marcelo Luiz Santos Martins – Gilmar soltou em 21/05

Marcos Vinicius Silva Lips – Gilmar soltou em 23/05

Sandro Alex Lahmann – Gilmar soltou em 24/05

Carlos Mateus Martins – Gilmar soltou em 24/05

Cesar Rubens Monteiro de Carvalho – Gilmar soltou em 28/05

Sérgio Roberto Pinto da Silva – Gilmar soltou em 28/05

Hudson Braga – Gilmar soltou em 23/05

Carlos Miranda – Gilmar soltou em 23/05

Milton Lyra – Gilmar soltou em 15/05

Marcelo Sereno – Gilmar soltou em 18/05

Adeilson Ribeiro Telles – Gilmar soltou em 18/05

Carlos Alberto Valadares Pereira – Gilmar soltou em 18/05

Ricardo Siqueira Rodrigues – Gilmar soltou em 18/05

Arthur Pinheiro Machado – Gilmar soltou em 23/05

Orlando Diniz – Gilmar soltou em 01/06

Os habeas corpus concedidas pelo ministro “Laxante” chegaram a motivar protestos no fim de maio do ano passado, feito pelo movimento NasRuas, que levantou em frente à Procuradoria-Geral da República, um boneco de 13 metros de Gilmar. Os organizadores deram ao boneco o nome de “Gil-lax”.

Em agosto do ano passado, a força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro solicitou ao então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que ingressasse com um pedido para declarar o impedimento do ministro Gilmar Mendes em decisões da Lava Jato.

O pedido foi feito depois que Gilmar soltou Jacob Barata, amigo de Gilmar e acusado de integrar a quadrilha de Sérgio Cabral.

Gilmar Mendes mandou soltar também Tatiana Arana Souza Cremonini, filha de Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto. Alista de nomes famosos recentemente soltos por Gilmar Mendes é gigantesca, relembre alguns:

Anthony Garotinho, Jacob Barata o”rei do ônibus” e Lelis Teixeira , Eike Batista, José Carlos Bumlai, João Cláudio Genu, José Dirceu, o procurador da República Ângelo Goulart Vilela, o advogado Willer Tomaz de Souza, Ricardo Pessoa, José Ricardo Nogueira Breghirolli, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Sérgio Cunha Mendes, Gerson Almada, Erton Medeiros Fonseca, o ex-secretário de Obras do Rio de Janeiro Hudson Braga, o ex-assessor Carlos Miranda, João Ricardo Auler, José Aldemário Pinheiro Filho, Mateus Coutinho de Sá Oliveira, ex-executivos da Odebrecht, Márcio Faria da Silva e Rogério Santos de Araújo,  da máfia dos transportes do Rio os senhores Marcelo Traça Gonçalves, Octacílio de Almeida Monteiro, Cláudio Sá Rodrigues de Freitas e Eneas da Silva Bruno, o banqueiro Daniel dantas, o médico estuprador Roger Abdelmassih, a mulher de Sérgio Cabral Ariana Anselmo, o doleiro Alberto Yousssef, Nestor Cerveró, Fernado baiano, Paulo Roberto Costa…etc,etc.

Mendes é um ministro sob suspeita que continua a agir no STF. Ele já deveria ter sido afastado por oferecer solidariedade a um governador preso, o ex-governador do Mato Grosso Silval Barbosa. Foi Barbosa é amigo de Gilmar e autorizou a compra da Uned da família do ministro. O Ministério Público chegou a abrir investigação para apurar a “legalidade e moralidade” da aquisição. O ex-governador foi preso em setembro de 2015 na Operação Sodoma e acabou firmando acordo de colaboração premiada para escapar da pena. No acordo, se comprometeu a devolver mais de R$ 46 milhões desviados dos cofres públicos.

O senador Aécio Neves passou a ser monitorado a partir das delações premiadas dos donos da JBS. O tucano é acusado de corrupção por ter pedido e recebido dinheiro dos empresários. Durante a investigação, a Polícia Federal gravou uma série de ligações telefônicas do senador. Em uma delas, Aécio aparece falando com Gilmar Mendes. O assunto era um projeto de lei sobre abuso de autoridade. O senador pede ajuda para que o ministro do Supremo convença um senador do Pará, Flexa Ribeiro, a apoiar a medida.

A faculdade de Gilmar Mendes , o IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público), com sede em Brasília fundada em 1998 com unidades em outros estados, usa o prestígio de ter o ministro como sócio para atrair estudantes. No site da instituição, por exemplo, a primeira imagem em destaque é o um vídeo com palestra de Gilmar Mendes. O Supremo aprovou uma lista com três advogados para o posto de ministro substituto do TSE. Gilmar Mendes atuou diretamente pela aprovação, segundo o jornal Folha de S.Paulo. O problema é que esses advogados são professores da faculdade do ministro.

O IDP também  mantém relações financeiras com empresas com casos no Supremo. O instituto recebeu um patrocínio de R$ 2,1 milhões da JBS, por exemplo, entre os anos de 2016 e 2017. Os donos da maior processadora de carnes do mundo fecham acordo de delação premiada que compromete uma série de políticos que serão julgados no Supremo. A relação da família do ministro com o ensino superior é antiga. Os Mendes mantinham a União de Ensino Superior de Diamantino, cidade a cerca de 185 quilômetros de Cuiabá, no Mato Grosso. A Uned foi comprada pelo governo mato-grossense por R$ 7,7 milhões e foi transformada em campus da Universidade Estadual do Mato Grosso em Diamantino, onde Gilmar Mendes nasceu em 1955.

A soltura de Eike Batista levou o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a pedir ao Supremo para que Gilmar Mendes se declarasse impedido de decidir sobre o caso. Isso porque a esposa do ministro – a advogada Guiomar Mendes – é sócia do escritório de advocacia Sérgio Bermudes, que defende o empresário. Gilmar não se afastou do caso.

Comentários