General Paulo Chagas chama ministros de irresponsáveis e diz que podem ser retirados do poder Em carta aberta ministros do Supremo são alertados para possível reação enérgica

0
11553
General Paulo Chagas lança novo alerta
General Paulo Chagas lança novo alerta

O General Paulo Chagas, nas redes sociais, chamou de irresponsáveis e fez um alerta aos ministros da Segunda Turma do Supremo Tribunal federal, que esvaziaram as investigações da Operação Lava Jato, com decisão contraditória à própria decisão anterior da turma.

Ao criticar os ministros, o general também criticou os senadores da República que ainda não se posicionaram contra a decisão do STF de atrapalhar as investigações, que já prenderam centenas de empresários e políticos corruptos e recuperaram mais de R$12 Bilhões roubados dos brasileiros, o melhor resultado obtido pela justiça brasileira.

Paulo Chagas afirma que os ministros estão se esquecendo que podem ser retirados do poder. “Como Júlio Cesar, na Roma antiga, esses três incautos lançam-se à sorte e ignoram o risco da travessia do Rubicão, levando consigo a Suprema Corte e acreditando na proteção efêmera da toga, mas esquecendo dos 23 talhos de adaga que, no Senado Romano, depuseram o imperador e a sua arrogância.” escreveu o general indignado.

Leia a Íntegra do texto publicado hoje nas redes sociais:

GILMAR, RICARDO E DIAS, OS TRÊS O QUÊ?

Caros amigos

Não sei se os chamo de irresponsáveis ou, simplesmente, de repugnantes desavergonhados, comprometidos com o que há de pior na fauna dos esgotos!

Não sei nem se devo chama-los assim, mas, após 50 anos de servidão e do juramento de doar até a vida pelo meu País, não posso intimidar-me diante do poder que as circunstâncias e os conchavos conferiram a esses três juízes sem respeito ou juízo!

Agrego a minha revolta à dos brasileiros de bem que, neste momento, regurgitam diante da afronta que envergonha a Nação apenas para proteger Lula da Silva, o criminoso e comparsa de tantos que o adotaram como modelo e a quem me permito pensar que temem porque lhes conhece as entranhas da fortuna e dos malfeitos.

Permaneço fiel aos princípios da legalidade e da legitimidade para que estes assegurem o mínimo de estabilidade e paz enquanto o Brasil atravessa o lamaçal de corrupção que o Partido dos Trabalhadores e seus aliados, dentro e fora do governo, deixaram em nosso caminho.

Como Júlio Cesar, na Roma antiga, esses três incautos lançam-se à sorte e ignoram o risco da travessia do Rubicão, levando consigo a Suprema Corte e acreditando na proteção efêmera da toga, mas esquecendo dos 23 talhos de adaga que, no Senado Romano, depuseram o imperador e a sua arrogância.

Que essa recordação alegórica e o seu dramático final sirvam de alerta para todos, porque, se ao Senado faltam adagas, ao povo brasileiro não falta vontade para colocá-los na lata de lixo da história.

Gen Bda Paulo Chagas

Comentários