GDF cria agência de fomento para gerar emprego e renda no DF, com investimentos nacionais e internacionais Cabe aos deputados distritais a aprovação da Promover-DF para alavancar a economia do DF

0

Para mudar o quadro caótico de mais de 500 mil desempregados em Brasília, o governador Ibaneis Rocha (MDB) pediu autorização da Câmara Legislativa para criar um órgão de incentivo a negócios que pode incrementar a geração de emprego e renda no DF.

Com olhar de gestor, o governador quer mudar as fontes de geração de empregos e arrecadação, ao criar a agência que pode trazer milhões de investimentos nacionais e internacionais, já em seu primeiro ano de atuação.

A previsão é de que os investimentos a serem fomentados modifiquem o atual quadro de empregos que hoje, é basicamente do funcionalismo público.

A Agência de Promoção e Fomento do Distrito Federal (Promover-DF) será enquadrada como serviço social autônomo, nos mesmos moldes do Instituto de Gestão Estratégica da Saúde (IGES).

A Promover-DF trará investimentos nacionais e internacionais em diversas áreas da economia e contará com um quadro enxuto de 54 cargos para especialistas, com contratação pela CLT, que irão atuar na busca de investimentos nos diversos setores da economia internacional, incluindo turismo, agronegócio, construção civil, indústria de baixo impacto ambiental, comércio, serviços, tecnologia e startups.

Alinhado a política econômica do governo Jair Bolsonaro, Ibaneis mira nos investimentos internacionais para a transformação do DF. No ano passado, o Brasil subiu do sétimo para quarto lugar no ranking de principais destinos de investimento estrangeiro direto (IED) no mundo, contrariando tendência global de desaceleração desses fluxos, segundo relatório divulgado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

O fluxo de investimento estrangeiro direto para o Brasil subiu 8% no ano passado, para 62,7 bilhões de dólares, apontou o documento, lembrando que o país atrai mais de 40% do total de recursos destinados à América Latina e o governador quer uma fatia desse investimento.

Para conquistar uma parcela desta bolada, a PROMOVER DF terá a missão de se desdobrar para as contratações e negócios, que passarão pelo crivo dos conselhos financeiro e administrativo da agência. Segundo especialistas a indústria no DF ainda não deslanchou pela falta de políticas públicas que estimulem o desenvolvimento. Outra crítica relacionada ao baixo investimento no DF é com relação à burocracia, principalmente na emissão de alvarás e na carga tributária que diminui a competitividade em relação a outros estados. Então, mãos à obra.

 

 

Comentários