Folha é processada por Fake News sobre WhatsApp Empresário diz que jornal publicou matéria falsa para prejudicar campanha de Bolsonaro e pede indenização

0

O jornal Folha de São Paulo foi processado por danos morais no valor de R$ 2 milhões por ter publicado a matéria “Empresas bancam disparo de mensagens anti-PT nas redes” feita pela jornalista declaradamente de esquerda, Patrícia Campos Melo.

A rede de lojas Havan e Luciano Hang, proprietario da marca, ajuizaram hoje na Vara Cível da Comarca de Brusque, em Santa Catarina, o pedido de indenização.

Luciano Hang afirma que não fez nenhum contrato com empresas de tecnologia para envio de mensagens anti-PT como afirma a matéria e seu sub título “A Folha apurou que cada contrato chega a R$ 12 milhões e, entre as empresas compradoras, está a Havan”.

“Nota-se que não há tom de denúncia de possível fato, mas efetiva acusação, tratando os crimes como certos” diz o autor do processo e desafia a Folha de S. Paulo a provar que a matéria é verdadeira. Para o  empresario,  “Como jamais haverá uma prova de algo que foi inventado pelo periódico e sua jornalista, as Requeridas devem ser condenadas a pagar indenização que, além de puni-las por um dos mais tristes episódios da imprensa brasileira, as impeçam de novamente tentar influenciar uma eleição democrática.”

 

Comentários