Ex-governador Beto Richa é preso com mulher e irmão Dono da TV Band, da BandNews, da CBN e do Metro Jornal, em Curitiba é procurado pela polícia

0

O ex-governador do Paraná Beto Richa, segundo colocado nas pesquisas eleitorais do Ibope para o Senado pelo PSDB, foi preso pela Gaeco em investigação do Ministério público do Paraná, na manhã desta terça-feira 11, em Curitiba, no Paraná. A mulher dele, Fernanda Richa, o irmão, Pepe Richa e mais cinco pessoas também estão presos.

A Lava Jato também atuou nesta manhã e apreendeu documentos na casa do ex-governador em sua 53ª etapa. A polícia Federal prendeu o ex-chefe de gabinete de Richa, Deonilson Rodo e operadores do esquema Jorge Theodócio Atherino e Tiago Correia Adriano Rocha. Esta etapa da Lava Jato foi Batizada de “Piloto”, e cumpriu 36 mandados judiciais em Salvador (BA), São Paulo (SP), Lupionópolis (PR) Colombo (PR) e Curitiba (PR). Beto Richa aparece nas planilhas da Odebrecht com o codinome “Piloto”. Segundo a investigação os criminosos receberam propinas no processo de licitação para duplicação, manutenção e operação da PR-323.

Na operação do MP também foram presos o ex-secretário de cerimonial de Beto Richa

Ezequias Moreira, o ex-secretário de Assuntos Estratégicos Edson Casagrande e outro parente de Richa, Luiz Abib Antoun e Celso Frare. Ao todo, são 15 mandados de prisão.

A operação da Gaeco foi batizada de “Rádio Patrulha” e investiga desvios no programa Patrulha do Campo, que faz a manutenção das estradas rurais.

A Gaeco ainda procura Joel Malucelli, dono TV Band, da BandNews, da CBN e do Metro Jornal, em Curitiba e da J Malucelli.

Os crimes investigados são corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro. Segundo o MPF, a Odebrecht pagou suborno de R$ 3,5 milhões em cinco pagamentos entre setembro e outubro de 2014, para ganhar a licitação para duplicação da PR-323, entre os municípios de Francisco Alves e Maringá.

 

Comentários