Enfermeiros atacados em frente ao Palácio por bolsonaristas Eles pediam empenho do governo para o isolamento e tratamento de vítimas do vírus chinês

0

Uma manifestação de enfermeiros, técnicos e profissionais de saúde foi atacada por supostos bolsonaristas em frente ao Palácio do Planalto, nesta sexta-feira (1).

O grupo da saúde pedia ao governo federal incentivo ao isolamento social para reduzir o índice de mortes entre a população e os que trabalham na linha de frente ao combate da pandemia. Eles também pediam equipamentos para reduzir o risco de contaminação dia profissionais de saúde.

Um grupo de pessoas com a bandeira do Brasil e vestidos de verde e amarelo foi para cima dos enfermeiros, atacou com xingamentos e tentou coagir os profissionais de saúde. Por pouco não houve agressão física.

Um homem ainda não identificado vestido de verde e amarelo chamou uma enfermeira de “analfabeta” e segurou a mulher. “Põe o dedo para mim”, desafiou. Ele foi contido por enfermeiros.

De jaleco e máscaras, os profissionais de saúde seguraram cruzes para lembrar os mortos por coronavírus no país. “Estamos morrendo na luta contra a Covid-19”, disseram.

As manifestações dos profissionais de saúde aconteceram em diversas cidade brasileiras. Em Brasília, foram atacados por contrários ao isolamento social. Assista o lastimável vídeo :

Veja a nota do sindicato dos enfermeiros sobre o fato:

Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal vem por meio dessa nota repudiar agressões físicas e verbais que apoiadores do Presidente da República cometeram contra enfermeiras na manhã desta sexta-feira, dia 1º de maio, que participavam de um ato na Praça dos Três Poderes.

O ato tinha como objetivo chamar a atenção para a enfermagem nacional. O protesto tinha três objetivos centrais: defender o isolamento social com base científica, homenagear os trabalhadores da enfermagem de todo o Brasil que morreram lutando contra a Covid-19 e mostrar a importância da categoria.

O Ato foi uma iniciativa da categoria, apoiada pelo Sindenfermeiro, uma vez que os diretores da entidade são enfermeiros e também estão na linha de frente. A organização se deu a partir dos próprios trabalhadores da enfermagem que estão na linha de frente contra o novo coronavírus.

As atitudes tomadas pelos apoiadores do governo vão ao encontro de ideologias fascistas e antidemocráticas. Infelizmente, são embasadas pelas atitudes do Presidente da República que diversas vezes debocha das consequências da pandemia, desconsidera todas as recomendações e diretrizes sobre a importância do isolamento social ao combate do novo coronavírus.

Hoje, no Brasil, são mais de 2,3 milhões de profissionais de Enfermagem, que estão na luta contra a Covid-19. Por isso, em respeito à vida da maioria da população e pensando na segurança dos milhares trabalhadores da saúde que superam o medo para salvar vidas, o SindEnfermeiro repudia, veementemente, as atitudes fascistas e antidemocráticas do grupo pró-governo, e ressalta a importância de a população seguir as recomendações da comunidade científica mundial de isolamento social.

O sindicato se orgulha das enfermeiras que resistiram às provocações do grupo bolsonarista. A enfermagem é feita de luta. O SindEnfermeiro reitera seu compromisso pela defesa das enfermeiras e enfermeiros, do Sistema Único de Saúde público e universal e da democracia acima de tudo e de todos.

E por fim, relembra #LuteComoUmaEnfermeira !”

Comentários