Editorial bsbmagazine

0

BSB – A Revista Eletrônica www.bsbmagazine.com.br é um produto de utilidade pública, e como tal se reserva a noticiar o que acredita ser relevante para a população. Não somos, ou queremos ter, o foco em jornalismo investigativo, mas a necessidade de esclarecer fatos é algo relevante.

A prioridade de nossas pautas é estabelecida pelo cotidiano e comportamento das pessoas, sendo a diversidade o nosso norte, e assim continuaremos. Falamos sobre política, comportamento, saúde, esporte, arquitetura, turismo, música e entretenimento. Divulgamos Brasília para o mundo, pois acreditamos que nesse quadrado se produz de tudo, e temos um comprometimento com a cultura.

Como princípio temos a verdade dos fatos que nos norteia, e contra fatos não existe argumento que se sustente. Não estabelecemos juízo de valor, mas temos opinião própria, e quem quiser que tire suas conclusões. Temos a liberdade de expressão, que nos garante concordar, divergir, opinar e principalmente informar.

Todo jornalista tem o dever e a obrigação de alertar a população sobre fatos, esses que por vezes interferem na vida das pessoas, mas devem ser devidamente comprovados, para isso que existem os jornais e revistas. E o jornalismo investigativo é muito importante no aspecto de apuração de denúncia.

Até carregar na tinta se faz necessário, chamar a atenção não é fácil e tem seus riscos. O jornalista sem emoção não faz um bom jornalismo, apenas cobre uma pauta. Falar sobre pessoas e empresas é complicado, uma simples opinião basta para grupos te odiarem, mas alguém tem que fazer, alguém tem que denunciar, alguém tem que se importar, alguém tem que ter a coragem de dizer a verdade.

Podem espernear, ameaçar, tentar ofender sua honra, mentir, se fazer de coitado, mas não importa, pois os fatos não mentem e a calúnia não se sustenta perante a realidade nua. Lidar com pessoas não é fácil, mas lidar com a mentira é ainda pior. Desmascarar é o que todo jornalista quer fazer, mas exige coragem e isso é para poucos.

Dar um furo de reportagem é quase impossível nos dias de hoje, mas conseguimos, demos o furo e nos realizamos assim. Dissemos para muitos o que poucos gostariam de ouvir. Gostamos mais do som das vaias do que das palmas, pois isso nos faz sentir vivos e aprendendo sempre. Não somos senhores da razão, empregados certos ou prostitutas. Não estamos aqui para agradar ninguém, não estamos aqui para omitir nada, mas sim dizer o que acreditamos ser correto e justo.

Sem mais.

 

Comentários