Dois motoristas de Uber mortos no domingo mais sangrento para aplicativos Corpos foram encontrados em regiões diferentes do DF

0
    Domingo sangrento para motoristas de aplicativo no Distrito Federal com dois assassinatos durante o trabalho. No final da tarde de domingo, a Polícia Militar informou que localizou o corpo de Ângelo Sebastião Ávila, 71 anos, com diversas perfurações de arma branca pelo corpo, entre o Parque Marajó, em Valparaíso (GO), e Alphaville, um distrito de Cristalina (GO).

    A vítima, que era sargento aposentado da PM, atendeu a uma corrida no Terminal Rodoviário de Sobradinho, com destino ao Parque Marajó. Até o momento ninguém foi preso.

    Pela manhã, outro motorista por aplicativos havia sido assassinado no DF. A vítima foi encontrada na manhã deste domingo (09/02/2020) sem vida no Setor Habitacional Sol Nascente, em Ceilândia.

    Túlio Russel César, de 27 anos levou um tiro na cabeça na estrada Vicinal (VC-311) do Setor de Chácaras, próximo a entrada do Sol Nascente.

    O Corpo de Bombeiros recebeu chamada informando que no local indicado, haveria uma pessoa que teria sido agredida e estaria desacordada. Porém, assim que a equipe do CBMDF chegou ao local, verificou que a vítima estava morta ao lado do veículo Fiat Argo prata, que trabalhava.

    Com estes dois mortos no domingo, 2020 já registra quatro assassinatos de motoristas por aplicativos no DF.

    No dia 18 de janeiro, Aldenys da Silva, 29 anos, foi encontrado morto às margens da BR-070, em Brazlândia, em direção a Águas Lindas. O caso é investigado pela 19ª Delegacia de Polícia (P Norte – Ceilândia). A suspeita da polícia é de que um jovem de 19 anos teria solicitado uma corrida por aplicativo e, ao tentar roubá-lo o matou.

    Em 23 de janeiro, Maurício Cuquejo, 29, foi encontrado em uma vala de contenção na Granja do Torto. A vítima tinha perfurações no rosto, braço e perna e foi localizada a poucos metros do carro utilizado nas corridas, um Renault Logan branco. As investigações apontam para latrocínio.

    A violência contra motoristas é crescente e casos como o de
    Samuel Veras dos Santos, que ficou cerca de 20 horas refém de um casal que pediu uma corrida na Estrutural são recorrentes. O motorista foi resgatado dentro do próprio carro amarrado e ferido e desorientado, depois de ter ficado preso por mais de 24 horas na mala do carro,ao ser capturado por criminosos enquanto trabalhava.

    Comentários