Depois de 22 anos, com ajuda do Google Heart, corpo de homem é encontrado dentro de carro afundado em lago Veículo aparece nas fotos via satélite

0

O esqueleto de um homem desaparecido há mais de duas décadas, nos EUA, foi encontrado dentro do carro dele que permaneceu submerso em um lago nós EUA. 

William Moldt foi dado como desaparecido em Lantana, na Flórida, em 7 de novembro de 1997. Ele tinha 40 anos na época e não voltou para casa após beber em uma boate.

Em 28 de agosto deste ano, 22 anos depois, a polícia recebeu a denúncia de que havia um carro afundado em um lago em Moon Bay Circle, Wellington, na Flórida.

O  veículo submerso na água, tinha um esqueleto dentro.

Uma semana depois, foi confirmado que se tratava de Moldt.

A delegacia do condado de Palm Beach informou na quinta-feira que “um ex-morador de Grand Isles estava fazendo uma pesquisa no Google Earth, nessa região, quando notou o que parecia ser um veículo no lago”.

A pessoa entrou em contato imediatamente com um ex-vizinho para contar o que achava ter visto dentro do lago, que ficava logo atrás da casa dele.

Este último ativou, por sua vez, seu drone pessoal, confirmando a descoberta. E, na sequência, notificou as autoridades, conforme informou a polícia em sua conta do Facebook.

O carro submerso no lago estava bem calcificado por estar há bastante tempo na água.

“Surpreendentemente, o veículo estava claramente visível em uma foto de satélite do Google Earth da área desde 2007, mas aparentemente ninguém percebeu até 2019”, publicou o site do Charley Project, banco de dados online sobre casos não resolvidos nos EUA.
‘Desapareceu da face da Terra’.

A polícia presume que Moldt tenha perdido o controle do veículo e caído no lago e afirma que, durante a investigação inicial sobre seu desaparecimento, “não havia evidências de que isso tivesse acontecido”.

“Não é possível determinar o que aconteceu há tantos anos. Tudo o que sabemos é que ele desapareceu da face da Terra e agora foi descoberto”, explicou Therese Barbera, porta-voz da delegacia.

Na noite em que desapareceu, Moldt deixou a casa noturna às 23h, de acordo com um relatório do Sistema Nacional de Pessoas Desaparecidas e Não Identificadas.

O mesmo documento acrescenta que ele era um homem tranquilo que não socializava muito, não parecia embriagado e saiu do local sozinho dirigindo o carro.

“Ele não bebia frequentemente, mas tomou várias bebidas no bar”, especifica o relatório.

Moldt ligou para a namorada por volta das 21h30 e disse que chegaria logo em casa, mas ele nunca mais foi visto, tampouco se ouviu falar dele.

A polícia já informou a família sobre a descoberta de seus restos mortais.

Comentários