Conselheiro de Trump e Bolsonaro preso por roubo Milionário Steve Bannon embolsou ao menos um milhão de dólares de obra do muro com México

0

A relação do bolsonarismo com Steve Bannon, preso e indiciado hoje nos Estados Unidos, acusado de desvio de U$ 1 milhão de obra do muro entre USA e México, vem desde a campanha de 2018.

Bannon assumiu a direção da campanha de Donald Trump três meses antes da eleição e, com a vitória, passou a ser o estrategista-chefe da Casa Branca, mas foi demitido por Trump sete meses depois. Na sequência, deixou o Breitbart em saída consensual, segundo a empresa.

O atual assessor para assuntos internacionais do presidente Bolsonaro, Filipe Martins foi um dos articuladores do primeiro encontro de Eduardo Bolsonaro com Bannon, em Nova York, em agosto de 2018. Entre a cúpula dos Bolsonaros, Filipe foi apelidade de Sorocabannon.

Eduardo Bolsonaro participou, em fevereiro de 2019, de um evento em Mar-a-Lago, resort de Donald Trump em Palm Beach (Flórida), com o fã-clube político Trumpettes USA, que apoia o presidente americano.

Eduardo Bolsonaro disse para a plateia: “construam esse muro! Nós, brasileiros, apoiamos vocês”.

Bennon é proprietário da distribuidora ARC Entertainment e diretor de diversos documentários é ex-diretor do portal Breibart News, a plataforma da alt-right, a direita alternativa.

Segundo a procuradora norte-americana Audrey Strauss, “Os réus fraudaram centenas de milhares de doadores, para arrecadar milhões de dólares para financiar um muro de fronteira, sob o falso pretexto de que todo esse dinheiro seria gasto na construção. Enquanto assegurava repetidamente aos doadores que Brian Kolfage, o fundador e rosto público de We Build the Wall, não receberia um centavo, os réus montaram secretamente um esquema para repassar centenas de milhares de dólares para Kolfage, que ele usou para financiar seu estilo de vida luxuoso”, disse.

Bannon vai responder por conspiração para cometer fraude eletrônica e conspiração para cometer lavagem de dinheiro. Cada acusação tem pena máxima de 20 anos cadeia.
Com informações da Associated Press.

Comentários