China escondeu gravidade do coronavírus, obrigou médicos a se calarem e ocultou morte de um dos primeiros a avisaram sobre epidemia Mortes chegam a 636

0

As autoridades chinesas ocultaram a morte de Li Wenliang, um dos médicos que foram perseguidos pela ditadura na China por terem feito os primeiros alertas sobre o coronavírus.

Os médicos foram obrigados a assinar documentos se comprometendo a não divulgar nada sobre as suspeitas que tinham sobre uma nova epidemia que consideravam semelhante a SARS, que matou 700 pessoas.

A epidemia pelo Coronavirus já matou 636 pessoas no país asiático.

Comentários