Campanhas eleitorais em tempos de coronavirus Os Bastidores de campanhas políticas que se reinventam para superar pandemia

0

As eleições de 2020 se aproximam e os bastidores da política estão agitados com as novas necessidades do mercado publicitário, que surgiram com a pandemia que aflige todo o planeta. As restrições de circulação nas cidades preocupa quem precisa convencer os eleitores a votarem em seus candidatos. O tradicional aperto de mão, dado aos eleitores, assim como comer pastel nas feiras estariam ameaçados, caso a crise sanitária se prolongue. Em diferentes épocas, os pré-candidatos já estariam nas ruas, comendo desde buchada de bode, nas feiras populares até caviar em rodas de empresários. Mas a situação mudou.

Segundo o consultor em marketing político, Michel Winter, que foi um dos responsáveis pela campanha que elegeu o atual governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), as incertezas só atingem aos pré-candidatos que ainda não vislumbraram as novas metodologias de campanha.

Para o empresário, que além de ter sido atuante e próximo ao núcleo que elegeu o Presidente da República, Jair Bolsonaro e reúne em sua equipe, experientes profissionais dedicados a elegerem candidatos, como Julio Hübner e Marcos Roberto este é um momento difícil para a economia, saúde pública e para pré-candidatos que ainda não reciclaram a forma de atuação.

“Esta eleição será diferente de todas, mas o diferencial está exatamente em saber o que fazer. Nós já temos

Michel Winter: o diferencial está exatamente em saber o que fazer

a linha definida e estamos trabalhando nela, antes mesmo do surgimento do vírus chinês e é exatamente nossa expertise em campanhas virtuais que deixa nossos clientes tranquilos”, disse.

Na avaliação de Winter, “as eleições certamente não serão adiadas. Vamos superar o vírus antes do dia 4 de outubro e quem titubear nas pré-campanhas ficará prejudicado na disputa” pondera.

A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, parece raciocinar como o marqueteiro. Ela disse em recente entrevista que considera prematuro o debate sobre adiamento do pleito no atual momento e descartou mudança na data das eleições.

Michel Winter, Romeu Zema e Júlio Hubner

A disposição do grupo de Michel Winter é baseada em ações anteriores. A equipe conseguiu por meio de comunicação virtual tirar do semianonimato, o atual governador mineiro. Romeu Zema, que entrou para a história crescendo na aceitação do eleitor, antes de 6% para 71,8% na preferência dos mineiros, depois a atuação profissional da equipe de Michel, e venceu com 2,5 vezes mais votos que seu adversário no segundo turno o então governador Fernando Pimentel (PT).

A maioria dos especialistas e cientistas políticos já compreendeu que existe uma nova maneira de ganhar uma eleição, mas a fórmula inovadora utilizada nas redes sociais, que proporcionam grande velocidade da informação, ainda tem nuances e segredos

Marcos Roberto: Cada candidato tem seu universo

guardados a sete chaves com os vitoriosos homens dos bastidores políticos.

Para o especialista em campanhas políticas, jornalista Marcos Roberto além da agilidade na divulgação para os candidatos é preciso compreender os nichos de atuação dos pré-candidatos e gerar conteúdo compatível com a identidade do postulante.

“Assim como a velocidade empreendida na divulgação e o alcance que estamos obtendo, é preciso estar atento ao conteúdo a ser divulgado. Cada candidato tem seu universo e entender isso  é fundamental para que os resultados sejam os que estamos obtendo com nossos métodos”, afirma.  Apesar das “dicas” os marqueteiros não abrem o jogo de como transpor as pedras no caminho.

 

Comentários