Bolsonaro pede inegibilidade de Haddad por shows de Roger Waters Ministro da Cultura disse que cantor ganhou R$90 milhões na turnê

0

Advogados de Jair Bolsonaro entraram com um pedido de investigação sobre a propaganda irregular feita pelo cantor Roger Waters no Brasil, durante o segundo turno das eleições.

Waters apresentou durante o show de São Paulo, a hashtag Ele não e descreveu Bolsonaro como facista. Em outros Shows ele não exibiu a hashtag, mas colocou a frase censurado em referência a acusação que faz ao candidato do PSL. Os shows foram realizados pela produtora T4F que capta recursos com a lei Rouanet.

No domingo passado, o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, afirmou que o músico  “recebeu cerca de R$ 90 milhões para fazer campanha eleitoral disfarçada de show ao longo do 2º turno”

 

Comentários