Bolsonaro aprovado por 50% em pesquisa. 40% dos entrevistados consideram governo ótimo ou bom segundo CNi/IBOPE

0

Segundo pesquisa divulgada hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a popularidade do presidente Jair Bolsonaro reverte a tendência de queda que persistiu durante o ano passado e melhora entre dezembro de 2019 e setembro de 2020.

O percentual dos brasileiros que avaliam seu governo como ótimo ou bom alcança 40%, maior percentual desde o início de seu mandato.

A aprovação da maneira de governar passa de 41%, em dezembro de 2019, para 50%, em setembro de 2020, praticamente o mesmo percentual registrado no início do governo, em abril de 2019 (51%).

Em ambos os indicadores
(avaliação do governo e maneira de governar) a proporção da população favorável ao presidente supera daqueles com opinião desfavorável.

No caso da confiança da população no presidente, a tendência de piora também é revertida, mas a parcela da população que confia no presidente é menor que a parcela que não confia. O percentual dos brasileiros que confiam cresce de 41%, em dezembro de 2019, para 46%, em setembro de 2020. O percentual é inferior ao apurado no início do governo, em abril de 2019: 51%.

Pesquisa CNI/IBOPE

A popularidade do presidente Bolsonaro cresce mais entre os entrevistados com grau de instrução
até a oitava série da educação fundamental, entre os que possuem renda familiar de até um salário
mínimo, os residentes nas periferias das capitais e os que vivem nas regiões Sul e Nordeste.

Entre as nove áreas de atuação do governo avaliadas pela população, a área de Segurança pública é a
primeira colocada no ranking das políticas mais bem avaliadas e a única cujo percentual de aprovação
supera o de desaprovação. Em segundo lugar tem-se as políticas e ações de Combate à fome e à pobreza, que ocupava a sexta posição em dezembro de 2019. Impostos e Taxa de juros continuam sendo as áreas com pior avaliação.

A popularidade cresce mais entre os
entrevistados com renda familiar até
um salário mínimo. A avaliação do governo melhora principalmente
entre os entrevistados com até um salário mínimo.

Já entre os com mais de cinco SM, cresce a insatisfação com o governo. Cabe ressaltar que o percentual de ótimo ou bom supera o de ruim
ou péssimo em todas as faixas de renda familiar consideradas. No que diz respeito à aprovação da
maneira de governar, verifica-se um movimento similar. Cresce o apoio dos entrevistados com renda familiar de até um SM, enquanto diminui
o apoio dos entrevistados com renda familiar superior a cinco SM.
Nordeste se mantém como a região de
menor popularidade.

A popularidade do presidente Bolsonaro cresceu mais entre os residentes nas regiões Nordeste e
Sul. Ainda assim, o Nordeste se mantém como a região com menor apoio ao governo: 33% avaliam
o governo como ótimo ou bom, 40% confiam no presidente e 45% aprovam sua maneira de governar.
Popularidade se destaca entre os
entrevistados com menor grau de
instrução.

Entre os entrevistados com até a oitava série da educação fundamental há um forte aumento no apoio ao governo. O percentual dos que avaliam o governo como ótimo ou bom cresce de 25% para 44%, entre a parcela da população que cursou até a quarta série da educação fundamental, e
de 26% para 40%, entre os que têm de quinta à oitava série. Com relação aos entrevistados com educação superior não se percebe mudança
relevante na comparação com dezembro de 2019, seja nos percentuais de avaliação do governo, seja nos de aprovação ou desaprovação da maneira de governar do presidente Bolsonaro.

No entanto há uma piora no que diz respeito à confiança no presidente, uma vez que este indicador cai de 45%
para 37%.

Comentários